Distribuidoras de energia: ministro quer modernização dos contratos

Alexandre Silveira, titular da pasta de Minas e Energia, defendeu a renovação das concessões cujos contratos vencem nos próximos anos, para evitar a paralisação dos investimentos
Ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira,
Alexandre Silveira disse, no Fórum Brasileiro de Líderes em Energia, que distribuidoras poderão diminuir seu plano de investimento se receberem sinalização de que o contrato não será renovado. Foto: Joédson Alves/Agência Brasil

O ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, afirmou, nesta sexta-feira (12), que os contratos com as concessionárias de distribuição de energia devem ser modernizados, para melhorar a qualidade do serviço. Silveira participou do Fórum Brasileiro de Líderes em Energia, no Rio de Janeiro.

“Nossos contratos até então são contratos que não atendem mais, do jeito que estão, as expectativas da sociedade brasileira. Precisamos modernizar esses contratos para melhorar nossos índices DEC [tempo médio de interrupção de energia dos consumidores] e FEC [frequência da interrupção de energia aos consumidores]”, disse o ministro.

O ministro defendeu a renovação das concessões cujos contratos vencem nos próximos anos, como uma forma de evitar a paralisação dos investimentos previstos pelas atuais concessionárias. Mas, ao mesmo tempo, aumentar a cobrança por uma melhor qualidade do serviço.

“Precisamos avançar no sentido da renovação. Nas 20 distribuidoras que estão diretamente ligadas ao processo de distribuição, temos planos de investimentos que apontam para uma direção de R$ 140 bilhões nos próximos quatro anos”, disse Silveira. 

Contrato com distribuidoras

Segundo o ministro, se uma empresa receber sinalização de que o contrato não será renovado, ela poderá diminuir seu plano de investimento aqui no Brasil e passar a investir em outro lugar. 

- Publicidade -

A ideia é ainda que os prefeitos tenham uma relação mais direta com as distribuidoras de energia. “Os prefeitos são, para mim, a maior autoridade federativa, porque estão no dia a dia da comunidade. São aqueles que têm que dar resposta aos postos de saúde, às escolas. Então eles precisam ter um link mais direto com as nossas distribuidoras para melhorar a qualidade do serviço”, disse o ministro.

Leia mais: As distribuidoras de energia e o ranking da Aneel. Confira quem subiu e desceu

- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Notícias

- Publicidade -