Raquel Lyra vai a Dubai com Lula para COP-28

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no email
Presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) convidou a governadora Raquel Lyra (PSDB) para integrar a comitiva presidencial em Dubai, nos Emirados Árabes. Foto: Ricardo Stuckert/PR
Presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) convidou a governadora Raquel Lyra (PSDB) para integrar a comitiva presidencial em Dubai, nos Emirados Árabes. Foto: Ricardo Stuckert/PR

A governadora Raquel Lyra (PSDB) aceitou o convite para integrar a comitiva presidencial na Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP-28) em Dubai, nos Emirados Árabes, que acontece entre os dias 30 de novembro e 12 de dezembro. A tucana não confirmou qual o período exato que vai compor as atividades.

É verdade que ao longo do ano vem crescendo o número de atividades entre Raquel e Lula. A governadora, por sinal, estaria procurando uma nova sigla para se filiar. Pelas movimentações apresentadas nos últimos dias, o destino partidário dela pode ser o PSD, legenda que também é do ministro pernambucano, André de Paula (Pesca).

Neste ano, André de Paula causou surpresa quando rompeu com o prefeito João Campos (PSB) e migrou para o Governo Raquel Lyra, levando consigo sua filha, Cacau de Paula, que deixou a secretaria de Turismo do Recife e assumiu a secretaria estadual de Cultura. Este mesmo PSD que filiou o prefeito de Olinda, Professor Lupércio, que ainda não oficializou quem o representará na sucessão municipal nas urnas.

Recentemente, Raquel Lyra esteve ao lado do governador do Paraná, Ratinho Júnior, do PSD, em São Paulo, participando de um evento junto a empresários.

A definição de uma mudança de partido de Raquel Lyra pode significar, por exemplo, que ela causaria desconforto no prefeito João Campos (PSB), candidato à reeleição. Afinal, o socialista conta com o apoio exclusivo do presidente Lula no seu palanque em 2024. Mas, a governadora que terá um representante palaciano na disputa eleitoral recifense está requisitando a presença de Lula, ou, pelo menos, a neutralidade petista.

O PT reforçou, nos últimos meses, apoio à candidatura de João Campos. Apesar de querer mais espaço no Governo socialista e também na chapa majoritária, como, por exemplo, a vice-prefeitura, hoje, ocupada pelo PDT com Isabela de Roldão.

O certo é que Lula abre espaço para Raquel Lyra e para João Campos, claro, desde sempre. O prefeito do Recife ainda não falou sobre sua presença no evento de Dubai, mas como disputa os holofotes com Raquel Lyra pode também está preparando as malas e buscando espaço nessa comitiva presidencial.

Leia também:
Teresa Leitão e ministra das mulheres participam de debate sobre violência
Pernambuco pode reconhecer calamidade financeira dos municípios
Raquel Lyra envia para a Alepe pacote com 33 projetos de combate à fome
João Campos quer reservar 30% em concursos e seleções para pessoas negras e indígenas
Dia Nacional da Consciência Negra será celebrado na Alepe
Moraes vota pela condenação de mais cinco réus pelo 8 de janeiro
Prefeitura de Surubim condenada a pagar 45 dias de férias aos professores
Amupe conversa com TCE/PE sobre crise financeira nos municípios
Alepe esclarece ajuste na previsão de receita do FPE na LOA
Comissões da Alepe debatem aumento da violência em audiência pública

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Mais Notícias