Pecém firma 32º memorando para a produção de Hidrogênio Verde

Recentemente a direção do Complexo Industrial e Portuário do Pecém, firmou parceria com o Porto de Roterdã para criar a rota do H2V para Europa.
Presidente de Pecém Hugo Fugueiredo
Presidente de Pecém Hugo Figuêiredo/Foto: Complexo do Pecém

O Governo do Ceará, firmou o 32º Memorando de Entendimentos (MoU, em inglês) para a produção de Hidrogênio Verde (H2V) no Complexo do Pecém, desta vez com a EDF Renewables Brasil, líder global de energia renovável.

O memorando, assinado ontem (16), contempla a mútua cooperação e intercâmbio para promover a cadeia produtiva da indústria de hidrogênio verde no estado. A iniciativa está alinhada a uma estratégia em comum entre o Governo do Ceará e a EDF Renewables, que é a de estimular a geração de energias renováveis.

O CEO da EDF Renewables Brasil, André Salgado, destacou, na ocasião, que a assinatura do memorando com o Governo do Ceará é mais um importante marco para a empresa: “Ratifica as nossas ambições e plano de crescimento no Brasil, além de contribuir com as metas de baixa emissão de carbono do Grupo EDF até 2030”.

A partir do acordo, a companhia planeja desenvolver estudos e analisar a construção de uma planta de produção de hidrogênio verde possibilitando, inclusive, a aproximação com universidades locais.

O encontro para assinatura do acordo foi liderado pelo secretário-chefe da Casa Civil, Max Quintino, e contou, ainda, com a presença do presidente do Complexo do Pecém, Hugo Figueirêdo, e de outros secretários de Estado e da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec).

- Publicidade -

Max Quintino ressaltou que essas parcerias são significativas e que “o Governo do Ceará está à disposição para viabilizar o avanço desses memorandos para que, de fato, as expectativas em relação ao hidrogênio verde no estado se tornem possíveis”. Ele reforçou, ainda, que “o desejo é que todos os projetos direcionados ao Ceará se consolidem”.

O hub do Pecém

O hub de H2V do Ceará fica a 60 quilômetros da capital Fortaleza. O, que local vai concentrar diversas empresas ligadas à produção dessa fonte limpa de energia, deve se tornar uma porta de saída estratégica rumo ao mercado internacional.

Pecém
Área do Compelxo do Pecém: ventos e sol/Foto: divulgação

Recentemente a direção do Complexo Industrial e Portuário do Pecém, firmou parceria com o Porto de Roterdã, na Holanda, o maior da Europa, com lucro líquido de 351,7 milhões de euros em 2020 (cerca de 2,1 bilhões de reais), criando uma rota direto do HV2 com a Europa. O combustível não ficará restrito à Roterdã e deve ser consumido por toda a Europa.

O hub do Pecém conta com 2.000 km ² e terá capacidade de produzir cerca de um milhão de toneladas de H2V por ano. Parte dessa produção deve suprir a demanda de grandes empresas instaladas em Pecém, que hoje são cerca de 30. A energia produzida pelo sol e pelo vento, abundantes no Ceará, são fundamentais para abastecer os eletrolisadores e faz com que o país tenha boa competitividade.

Leia também:

Parque Dois Irmãos vira o jogo com créditos de carbono, por Patricia Raposo

Carro elétrico dará protagonismo a Pernambuco e Bahia, por Patrícia Raposo

Lançada no Brasil a 1ª bolsa de crédito de carbono, a B4

Banco do Nordeste registrou lucro 31% maior no 1º semestre deste ano

Governo ainda busca identificar causas do apagão

Uma sobrecarga no Ceará provocou o começo do apagão, segundo o ministro Silveira

Com investimento robusto e nova agenda, Copergás conecta Pernambuco com gás natural

Em parceria com construtoras, Copergás avança com abastecimento residencial de Gás Natural

- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Notícias

- Publicidade -