quinta-feira, 18/04/2024

Em parceria com construtoras, Copergás avança com abastecimento residencial de Gás Natural

Muitos apartamentos do Minha Casa, Minha Vida estão podendo ter água quente no chuveiro graças ao gás natural.
Copergás
Copergás quer ampliar a oferta de gás natural para residências/Foto: divulgação Copergás

A Companhia Pernambucana de Gás (Copergás) vem promovendo uma importante mudança de hábito na população pernambucana. Em sinergia com algumas construtoras, a empresa tem feito com que o uso do gás natural (GN) avance paulatinamente entre os consumidores residenciais. A base atual desses clientes na companhia gira em torno de 79 mil lares, espalhados em 1.350 prédios do Grande Recife. A maioria absoluta desses clientes vive em condomínios.

“Queremos avançar a cada ano com mais 12 mil consumidores residenciais”, diz o diretor Técnico Comercial da companhia, Roberto Zanella. Segundo ele, faz parte do trabalho da Copergás entender para aonde as cidades estão se expandindo. “Desta forma, conseguimos nos antecipar criando infraestrutura para o fornecimento de gás natural”, revela.

- Publicidade -

Segundo João Guerra, gerente de Comercialização dos Segmentos Residencial e Comercial da Copergás, as construtoras entendem que o gás natural é um produto mais seguro, mais barato e que oferece maior comodidade de abastecimento.

Felipe Valença Copergás
Felipe Valença, diretor presidente da Copergás/foto Arthur Cunha

“Trata-se de um atrativo a mais para nossos projetos imobiliários”, admite Avelar Loureiro Filho, presidente da ACLF Empreendimentos. Desde 2016, todos os empreendimentos erguidos pela ACLF contam com gás natural. Sua construtora é muito forte no município do Paulista, onde ergueu 17 empreendimentos com 7.482 unidades residenciais e também o Paulista North Way Shopping, âncora do desenvolvimento urbano da cidade. “Nós ajudamos a Copergás a expandir sua rede para Paulista e agora levamos o GN para todos os locais onde nos estabelecemos”, revela.

Avelar Loureiro revela que quando não é possível ter o gás natural, a construtora deixa as instalações prontas para a chegada futura do insumo. Segundo ele, o cliente vê muito valor num apartamento com acesso ao gás natural. “É uma grande vantagem para o morador, que economiza muito na conta de energia. A economia que o gás natural proporciona é brutal, principalmente no aquecimento dos chuveiros, em relação à energia elétrica. E o cliente encara isso como um atrativo nos apartamentos que a gente entrega”, sustenta Avelar.

- Publicidade -
Avelar Loureiro Filho
O presidente da ACLF Empreendimentos, Avelar Loureiro Filho, vem abrindo caminho para o gás nas residências de Paulista/Foto: divulgação ACLF

“Graças ao gás natural da Copergás, muitos apartamentos do Minha Casa, Minha Vida estão podendo ter água quente no chuveiro. Isso tem permitido que pessoas de baixa renda possam ter mais conforto no banho. Talvez muitos moradores desses residenciais não conseguissem ter um banho aquecido se tivessem que optar por um chuveiro elétrico”, ressalta João Guerra. Além de conforto, o GN proporciona segurança, já que não dá choque.

gás natural
Gás natural proporciona mais economia e conforto à população de baixa renda/Imagem de PublicDomainPictures por Pixabay

“É uma grande vantagem para o morador, que economiza muito na conta de energia. A economia que o gás natural proporciona é brutal, principalmente no aquecimento dos chuveiros, em relação à energia elétrica. E o cliente encara isso como um atrativo nos apartamentos que a gente entrega”, sustenta Avelar Loureiro Filho, da ACLF.

A MRV também tem incorporado ao gás natural aos seus produtos, segundo Leandro Amaro, gestor executivo da construtora. “O gás natural tem sido bem mais vantajoso em custo para os clientes. E muitos condomínios que foram entregues para uso do GLP (gás de cozinha), acabam migrando para o gás natural”, revela. Em relação ao GLP, a economia é de 40% (granel) e de até 25% (botijão de 13kg).

Mais seguro e mais limpo

 “Além de mais econômico, o gás natural também é mais seguro que o gás de cozinha”, explica João Guerra. Isso acontece porque o GN é mais leve do que o GLP. Em caso de vazamento, o GN se dispersa mais rápido no ar do que o GLP, que é denso e tende a ficar mais tempo no ambiente, oferecendo riscos de explosão. A outra vantagem é que o gás natural dispensa cilindros, liberando espaços, porque chega encanado diretamente a fogões e aquecedores de água.

“Um dos grandes apelos do gás natural é que, entre todos os combustíveis de origem fóssil, é o que tem a menor pegada de carbono, ou seja, é o menos poluente”, ressalta o gerente da companhia. Por isso, o GN tem forte apelo entre os que defendem a redução das emissões de dióxido de carbono (CO2) e muitos o consideram um combustível de transição energética.

“Além de ser menos poluente, o GN chega encanado ao consumidor final, ao contrário do GLP, que precisa ser transportado em botijões levados por caminhões movidos a diesel”, lembra Guerra. Nesse transporte são emitidos dióxido de carbono (CO2) na atmosfera, gases que soltam fuligem ácida e corrosiva, com partículas cancerígenas, e que contribuem ainda para a depredação do patrimônio imobiliário das cidades. “Usando o GN, as pessoas ajudam a reduzir o tráfego desses caminhões nas ruas”, ressalta o gerente.

Rede de distribuição

Para convencer o consumidor a fazer a mudança para um gás mais seguro e limpo, a empresa tenta superar um obstáculo: o custo da implantação em residências isoladas, ou seja, que não integram condomínios.

Um dos modelos em estudo é o do autofinanciamento, semelhante às linhas de créditos que o mercado de energia solar tem oferecido aos clientes em parceria com bancos. Os planos contam com prazo de carência proporcional ao tempo de implantação do equipamento. Assim, o cliente só começa a pagar o empréstimo quando a energia começa a ser gerada, substituindo, desta forma, uma conta pela outra.

“Nossa intenção é que o cliente só comece a pagar o financiamento quando o gás natural chegar à sua casa, porque ele já não precisará mais comprar o botijão. O financiamento tende a ter valor semelhante ao que ele costumava gastar com o GLP”, diz o diretor-presidente da Copergás, Felipe Valença.

Além do consumidor residencial, a Copergás conta com uma carteira de 135 indústrias, 105 postos de combustíveis e 1.110 clientes no comércio. A indústria é o grande consumidor de gás natural com 1,3 milhão de m3/dia. Já o gás natural veicular movimenta 400 mil m3/dia.

Para solicitar o GN, o interessado deve entrar em contato com a Copergás pelo e-mail [email protected] ou ligar para 0800 2812002. A empresa também disponibiliza um PABX: 3464-7400.

Leia também:

Em parceria com construtoras, Copergás avança com abastecimento residencial de Gás Natural

Empresas devem formar consórcios para obras do PAC, diz ministro

A Transnordestina está no PAC 3, mas sem cronograma da retomada das obras

Novo PAC investe R$ 91 bilhões em PE

- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Notícias

- Publicidade -