Grupo Leveros expande presença no NE com 2 hubs no Recife e em Natal

Com 500 metros quadrados cada, espaços exclusivos do Grupo Leveros integrarão loja, centro de treinamento para instaladores e arquitetos e ponto de retirada de equipamentos. O investimento de R$ 2,5 milhões vai gerar cerca de 30 empregos nas duas capitais
Tiziano Pravato Filho, CEO do Grupo Leveros
Para o CEO do Grupo Leveros, Tiziano Pravato Filho, o mercado nordestino tem sido significativo para o crescimento e desenvolvimento da empresa. Foto: Leveros/Divulgação

É no calor do Nordeste que o Grupo Leveros, com matriz em Assis (SP) e especializado em soluções de climatização, pretende iniciar seu plano de expansão pelo Brasil, impulsionado principalmente pelas vendas de aparelhos de ar-condicionado que renderam um faturamento de R$ 1,2 bilhão em 2023. A empresa anunciou a construção de dois “hubs de relacionamento” no Recife e em Natal, com inauguração prevista para janeiro de 2025.

Com 500 metros quadrados cada, os “hubs” integrarão em um mesmo espaço uma loja, um centro de treinamento para instaladores e arquitetos e um ponto de retirada de equipamentos. O investimento de R$ 2,5 milhões vai gerar cerca de 30 empregos nas duas capitais, que se juntam a Fortaleza e Salvador como bases de venda e capacitação do Grupo Leveros, que ainda mantém um Centro de Distribuição em João Pessoa.

Nesta expansão a partir do Nordeste, o Grupo Leveros conta com a parceria da transportadora Jamef para garantir uma distribuição eficiente nas capitais da região e em municípios estratégicos.

As unidades de Pernambuco e do Rio Grande do Norte serão bem maiores do que as inauguradas na Bahia em 2021 e no Ceará em 2023 e que registraram no ano passado vendas superiores a 40% por conta da demanda gerada pelo aumento do calor ao longo de todo o ano.

A necessidade de uma presença física está diretamente relacionada ao poder de venda dos instaladores diretos dos equipamentos. A meta é que, dentro de um ano, cada novo “hub” tenha vínculo cerca de 250 profissionais que garantam a montagem e manuntenção dos aparelhos e atraiam novos clientes.

- Publicidade -

Faturamento do Grupo Leveros

“Estamos investindo na região, pois o mercado nordestino tem sido significativo para o crescimento e desenvolvimento da Leveros”, destaca o CEO do Grupo Leveros, Tiziano Pravato Filho. Investir em treinamento dos colaboradores e numa rede de lojas reflete o atual momento da empresa, onde 65% do faturamento vêm das vendas diretas e os 35% restantes do e-commerce.

Ao todo, o grupo pretende investir R$ 30 milhões na sua expansão nacional, abrindo 12 novas unidades. Ainda no Nordeste, Tiziano Pravato Filho revela que há interesse de abrir pontos em Teresina (PI) e São Luís (MA), além de chegar às regiões Centro-Oeste e Sul. “Queremos estar nas principais capitais do país até 2026”, diz Tiziano.

O grupo possui atualmente unidades físicas em Assis, Ribeirão Preto, São Paulo (SP), Salvador (BA) e Fortaleza (Ceará). Também opera dois centros de distribuição, um em Vila Velha (ES) e outro em João Pessoa (PB), que juntos somam 27 mil metros quadrados para dar vazão a mais de 40 mil produtos por mês.

O grupo cresceu durante a pandemia de Covid-19, com a combinação de home office e aumento de temperatura, chegando a quadruplicar o faturamento em menos de quatro anos. “O ar-condicionado deixou de estar só no quarto e virou uma necessidade em toda a casa”, lembra Tiziano.

A estratégia foi de não priorizar a venda de aparelhos de ar-condicionado mais baratos, mas os mais eficientes, com tecnologia inverter, com consumo até 70% menos de energia elétrica.

Por isso a necessidade constante de treinamento de instaladores próximos às suas bases de venda. O Grupo Leveros criou em 2020 uma nova empresa, a Profiz, para capacitar os técnicos e torná-los também vendedores e parceiros da empresa.

Como modelo de negócios, a empresa deixou de ser uma simples distribuidora de equipamentos para se tornar um ecossistema de soluções nas áreas de climatização e refrigeração. Nada mal para uma empresa que começou em 1978 em uma cidade do interior paulista como uma prestadora de serviços de consertos de fogões e geladeiras.

Leia mais:

Calor aqueceu a produção da Fricon em Paulista (PE)

No calor do NE, enquanto você sua, Chiquinho Sorvetes quer faturar R$ 1 bilhão

- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Notícias

- Publicidade -