Masterboi anuncia rastreabilidade completa de seus bovinos

A implementação do protocolo PRIMI surge como um refinamento do já robusto sistema de monitoramento conduzido pela Masterboi
rebanho gado
Rebanho bovino no Pará precisa estar adequado às novas normas até 2025/Foto: Wenderson Araujo/Trilix

A rastreabilidade é cada vez mais importante na cadeia produtiva e atende exigências de mercados como o europeu, que pede resposta sobre ações sustentáveis em torno do bioma Amazônia. Os europeus estão determinados a só comprar couro e carne de animais que sejam rastreáveis. Diante de um cenário cada vez mais exigente, a empresa pernambucana Masterboi anunciou, em evento em sua unidade de São Geraldo do Araguaia (PA) esta semana, o seu Projeto de Rastreabilidade Individual Completa da Cadeia de Bovinos.

O modelo estabelece a instalação de brincos eletrônicos em todo o gado e a alimentação de um banco de dados de bovinos. Aderindo ao protocolo da PRIMI (Programa de Rastreabilidade Individual e Monitoramento de Indiretos), um dos sistemas mais robustos do mercado, a Masterboi fará o acompanhamento completo dos animais que adquire.

A implementação do protocolo PRIMI surge como um refinamento do já robusto sistema de monitoramento conduzido pela Masterboi, um trabalho que recebeu reconhecimento até mesmo do Ministério Público Federal.

A Head de Sustentabilidade da Masterboi, Sandra Catchpole, que apresentou os resultados e perspectivas do projeto, disse que a empresa entra numa nova etapa, importante e essencial, com a rastreabilidade completa. “O projeto reúne a aplicação de brincos eletrônicos nos animais e a alimentação de uma base nacional de dados. Esses recursos permitem uma visão ampla da origem do rebanho e informações sobre todas as propriedades por onde o gado passou. Isso garante a segurança da conformidade e, principalmente, a identificação de potenciais riscos socioambientais para atuação e reinserção dos pecuaristas na cadeia. Além de possibilitar a abertura de novos mercados”, afirmou Sandra.

couro bovino
Crescem exigências dos mercados sobre rastreabilidade do couro bovino e da carne no bioma Amazônia/Foto: divulgação

O rastreio completo do gado traz diversas vantagens para o setor, inclusive otimizando a gestão do plantel pelo pecuarista. “A rastreabilidade individual, tem inúmeras vantagens, inclusive sanitárias, pois assegura o rastreio de volta à origem, em caso de necessidade de segregação, sem o comprometimento do mercado como um todo”, completou Sandra. Segundo ela, toda propriedade tem que estar certificada e isso está alinhado com o decreto que o governador do Pará, Hélder barbalho (MDB), publicou recentemente estabelecendo limite até 2025 para todo rebanho do estado estar nessa base de dados.

A Masterboi possui uma cooperação técnica firmada com a Amigos da Terra e a National Wildlife Federation (NWF) e através do Projeto Aliança Verde vem engajando e orientando pecuaristas para promover a conformidade socioambiental.

- Publicidade -

“Nossos esforços vêm sendo em unir todos os segmentos da cadeia, para juntos, através de inovações tecnológicas, contribuir para uma pecuária mais sustentável. Levando crescimento econômico para pequenos e médios criadores. Com isso, podemos alinhar uma melhor produtividade das fazendas, com produtos de qualidade, como estamos oferecendo nesses quase 26 anos de existência”, disse Nelson Bezerra, presidente da empresa.

Masterboi e a Aliança Verde

As ações do Aliança Verde começaram no Pará, na planta de São Geraldo do Araguaia, que está no bioma Amazônia, no início de 2022, com diversas ações que contribuíram na orientação da regularização socioambiental dos produtores, como visitas técnicas a pecuaristas parceiros, divulgação de cartilhas de orientação e a realização de eventos educativos para os produtores rurais. Em junho de 2023, a parceria se expandiu para a planta de Nova Olinda, no Tocantis, com o bioma Cerrado.

Masterboi São Geraldo do Araguaia Pará
Unidade da Masterboi em São Geraldo do Araguaia, no Pará/foto: divulgação

As equipes locais de Compra de Gado, junto com a equipe de ESG da Masterboi e NWF, estabeleceram um plano de ação e iniciaram a aproximação com os fornecedores e com as autoridades ambientais. “Todas as ações de campo que implementamos são planejadas junto com a equipe de Compra de Gado, que direciona as estratégias mais eficazes. Aprendemos com eles sobre o campo e eles conosco sobre as exigências do mercado e alinhamos expectativas. Afinal, eles são os especialistas, quando o assunto é o dia-a-dia dos nossos pecuaristas, por isso nossa taxa de engajamento nos projetos tem sido um sucesso”, conclui Sandra.

Leia também:

Fruticultores de Petrolina expõem na Fruit Attraction

Hidrogênio verde: RN avança em projetos e defende regulamentação

- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Notícias

- Publicidade -