Criado no Recife, Cittamobi inicia internacionalização pela Argentina

Aplicativo que fornece informações do transporte público chega a dez anos de operação buscando ampliar fronteiras, começando pela Argentina
Cittamobi tem marca superior a 25 milhões de downloads. Foto: Cittamobi/Divulgação

Do Porto Digital para o mundo. Criado no Recife há dez anos, o Cittamobi, aplicativo que disponibiliza informações sobre o transporte público em mais de 330 cidades brasileiras, está de chegada à Argentina. O país hermano é o primeiro em que a empresa aporta com operação oficial após colocar em prática seu plano de internacionalização, que já havia dado um salto importante em janeiro, com um teste realizado no Vale do Silício, nos Estados Unidos, reduto da inovação tecnológica.

Em Buenos Aires, com o aplicativo traduzido para espanhol, a promessa é de que a experiência dos passageiros argentinos seja similar à dos brasileiros, que é avaliada como positiva e digna da marca de 25 milhões de downloads por aqui. Será possível consultar os horários de chegadas de linhas de ônibus, incluir itinerários na lista de favoritos, definir alertas para as principais linhas utilizadas, entre outros serviços. Por outro lado, diferentemente do Recife, onde o aplicativo tem maior foco e uso nos ônibus, o app argentino também dispõe dessas informações para outros modais de transporte, como metrô e trem.

“Chegamos em Buenos Aires com a mesma vontade e qualidade, entregando o horário em tempo real, as melhores rotas para ir de um ponto a outro da cidade, o acompanhamento do ônibus em todo o trajeto realizado por ele e muito mais”, celebrou a empresa, em comunicado divulgado no LinkedIn.

App fornece informações em tempo real sobre a previsão de chegada de ônibus e outros modais de transporte. Foto: Cittamobi/Reprodução

Argentina foi escolhida por ter transporte “similar” ao do Brasil

A escolha da Argentina para iniciar a internacionalização do Cittamobi não foi à toa: o país tem similaridades com o Brasil quando o assunto é transporte público, segundo o CEO da empresa, Cesar Olmos. “Iniciamos pela América do Sul, na Argentina, pois entendemos que o país tem uma realidade de transporte público muito parecida com a brasileira. Assim conseguimos entregar um produto de valor para a população, entregando mais qualidade de vida aos passageiros”, relata.

O executivo explica ainda que a internacionalização é uma das metas estabelecidas nesse marco de dez anos de atividade no Brasil. “Somos um app que sempre buscou atender o passageiro do transporte público porque entendemos que o serviço que oferecemos é uma necessidade de várias cidades, não só do Brasil. Agora queremos levar essa mesma concepção para outras cidades e países e chegamos à Argentina no mesmo ano em que comemoramos uma década de operação no Brasil”, afirma.

- Publicidade -

Abertura para a internacionalização incluiu testes no Vale do Silício

O avanço para a Argentina ocorre após uma fase de testes no Vale do Silício, no início deste ano. Durante a jornada em solo norte-americano, foram avaliadas diferentes performances do aplicativo na relação com dados, geografia, língua nativa e outras especificações da cidade de São Francisco, que teve informações de suas linhas de transporte inseridas no software.

A experiência foi conduzida por Paulo Fraga, CEO da Primova, holding de tecnologia da qual o app Cittamobi faz parte. Após os testes, foi possível iniciar as operações em Buenos Aires. O fornecimento de dados em tempo real sobre o transporte público nas cidades brasileiras e, agora, na capital argentina se baseia em informações abertas, por meio de parcerias com operadores e poder público.

Aplicativo surgiu no Porto Digital, no Recife, e se expandiu para mais de 330 cidades brasileiras. Foto: Agência Sorocaba/Arquivo

Cittamobi: trajetória de sucesso começou no Recife

O Cittamobi foi criado em fevereiro de 2014, ainda com o nome de Cittabus, a partir de uma parceria entre a empresa Cittati e o Sindicato das Empresas de Transporte Público de Passageiros no Estado de Pernambuco (Urbana-PE), que precisava de uma solução tecnológica que informasse a previsão de chegada dos ônibus.

A medida era uma resposta a uma primeira tentativa, feita em 2012, por meio de um consórcio da Cittati com outras empresas, para ofertar aos usuários o monitoramento em tempo real da frota de ônibus na Região Metropolitana do Recife. Por problemas operacionais, o serviço acabou sendo suspenso pelo então governador de Pernambuco, Eduardo Campos, que decidiu rescindir um contrato de R$ 20 milhões com as empresas desenvolvedoras.

A trajetória do Cittabus como solução encomendada pelo setor privado, porém, foi virtuosa e, já em 2015, a plataforma contava com 720 mil usuários na capital pernambucana, por onde se deslocava boa parte dos dois milhões de passageiros diários transportados, na época, pelo sistema metropolitano. Atualmente, o total de passageiros é de 1,8 milhão por dia.

Ampliação vem ocorrendo pelas mãos da holding Primova

Em 2019, a empresa Cittati, que havia sido criada em 2008 no Porto Digital, foi vendida para o grupo canadense Constellation Software. Seus antigos fundadores, contudo, se mantiveram à frente do aplicativo de mobilidade urbana. Assim, foi criada a holding Primova, que detém o Cittamobi, a PAGMOB – empresa de tecnologia com soluções para modernizar e otimizar o pagamento da mobilidade urbana – e o Hub UniQ – plataforma que unifica todos os sistemas e dispositivos existentes para o controle operacional de forma inteligente.

Ao longo dos anos, o Cittamobi mudou de nome e de visual, marcos que também sedimentaram uma ampliação do leque de serviços. Isso inclui, por exemplo, a possibilidade de recarga online do bilhete eletrônico usado no transporte por ônibus e parcerias estratégicas com prefeituras como a do Recife, que inseriu o app na plataforma Conecta Recife e promoveu ações conjuntas de difusão de informações sobre a violência contra a mulher no Carnaval de 2024 tendo como apoio a base do Cittamobi.

Leia mais: Ministério dos Transportes anuncia R$ 1,7 bilhão para setores rodoviário e ferroviário

- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Notícias

- Publicidade -