Hospital da Criança do Recife é vistoriado em meio a flerte político

Num investimento de R$ 116 milhões, Hospital da Criança terá capacidade de 8.860 procedimentos/mês, entre consultas, exames e cirurgias
Ministro Alexandre Padilha e o prefeito João Campos: sintonia em visita a hospital Foto: Marlon Diego/PCR


A passagem do ministro das Relações Institucionais do Governo Lula, Alexandre Padilha, pela capital pernambucana foi marcada pelo flerte político escancarado, que alimenta os rumores de um petista na vice do prefeito do Recife, João Campos.

Durante visita às obras do Hospital da Criança, que está sendo construído pela Prefeitura na Av. Recife, no bairro do Caçote, tanto o ministro como o prefeito não economizaram nos elogios mútuos, intercalados com histórias sobre o ex-governador Eduardo Campos e o ex-secretário Antônio Figueira, que dará nome à nova unidade médica, que será inaugurado até dezembro, segundo promessa do prefeito.

- Publicidade -

Classificando João Campos como “a maior revelação da política brasileira”, Padilha se emocionou durante o seu discurso cerca de 15 minutos.

“Estamos celebrando a força do compromisso e da amizade. João, saiba que você tem em mim, e no presidente Lula, um parceiro para todas as horas. Você, que é a grande figura de renovação da política brasileira, vai fazer algo que as pessoas podiam achar impossível. Eu vim aqui em dezembro do ano passado. Isso era só um terreno e o João Campos me disse que ia entregar no final do ano”, destacou Alexandre Padilha.

O ministro de Relações Institucionais reforçou os investimentos do Governo Federal em Pernambuco.

- Publicidade -

“Só pra vocês terem ideia, quando a gente pega o conjunto do Estado de Pernambuco e todas as obras do PAC, já são mais de R$ 13 bilhões de investimento do presidente Lula, do Governo Federal, entre obras de estradas, a recuperação da Refinaria, os seis novos institutos federais para Pernambuco. Há três semanas, no PAC Seleções, foram anunciadas mais 480 obras do Governo Federal em parceria com os municípios e com o estado de Pernambuco”, pontou Padilha.

Prefeito João Campos prometeu entregar o hospital até dezembro Foto Marlon Diego Prefeitura do Recife

Em seu discurso, o prefeito João Campos destacou a importância do Hospital da Criança e o emprenho da gestão em concluir rápido a obra.

“Que danado é o ato de hoje. Deveria ser uma ordem de serviço, mas na nossa escola, Padilha, a gente tem que ter pressa fazer as coisas com velocidade e com qualidade. Então, a gente tá vindo hoje aqui para poder vistoriar o início da obra e para mostrar que dá para fazer bem feito e que dá para fazer rápido aquilo que é público. A gente tá vendo uma obra que não vai deixar a desejar para nenhuma obra privada”, afirmou o prefeito do Recife.

Mozart Sales e o vice do PT

Em entrevista após o ato, o ministro Padilha destacou que a aliança no Recife reproduz a aliança nacional entre PT e PSB. Mas acrescentou que o condutor do processo é o prefeito João Campos.

“Nós temos tudo para caminhar juntos o tempo todo. O presidente Lula tem um carinho muito especial pelo João Campos. Quem lidera esse debate é o próprio prefeito. Nós confiamos na capacidade dele de liderar esse debate. Lógico que a minha expectativa, de quem conviveu com Eduardo Campos, que conviveu com o melhor momento político diria do campo progressista no Recife, em Pernambuco, que era aliança PSB e PT, a minha esperança que isso se reproduza”, externou o ministro.

 Ao avaliar um dos nomes colocados no PT para vice, o assessor especial da sua pasta Mozart Sales, Padilha destacou que é uma pessoa da sua total confiança.

“Quando estava no Ministério da Saúde, ele foi o mediador permanente da relação entre a Pasta e o Governo do Estado. Conhece profundamente a cidade do Recife, já foi vereador, já foi coordenador de distrito do Ibura, que é muito popular aqui”, disse o ministro.

Ele acrescentou, ainda queo mais importante é o PT sair unido no eventual debate sobre a vice.

“Sei que o PT tá discutindo internamente os nomes. A minha expectativa é que o PT se unifique em torno de um nome. Eu sempre vou querer que o PT esteja unido. Toda vez que o PT de Recife esteve unido acertou. Quando não apostou na unidade, não acertou”, avaliou Padilha.

Em seu discurso, o prefeito João Campos fez questão de citar Mozart Sales pela capacidade de trabalho.

“Não posso deixar de agradecer a meu amigo Mozart Sales, que cuidou da burocracia da Caixa, do PAC. É tanta sigla que tem no Governo Federal. E todo mundo que trabalha no governo conhece as siglas e a gente de fora fica só concordando. Mas a burocracia que foi vencida para a gente poder garantir a homologação do hospital dentro do PAC”, discursou João Campos, que não falou sobre política.

O prefeito João Campos e o ministro Alexandre Padilha visitaram as obras do hospital Foto Marlon Diego PCR

Hospital da Criança

As obras do Hospital da Criança do Recife, iniciadas em janeiro deste ano, estão previstas para serem concluídas até dezembro de 2024, ao custo de R$ 116 milhões, com recursos advindos do Ministério da Saúde e da Prefeitura do Recife. A unidade terá capacidade para realizar mensalmente 8.860 procedimentos, ampliando o acesso de crianças e adolescentes da capital ao Serviço Único de Saúde (SUS).

O hospital será equipado com 60 leitos, sendo 50 destinados à enfermaria e dez à terapia intensiva (UTI). Além disso, oferecerá ambulatórios especializados em diversas subespecialidades pediátricas, leitos integrais de saúde mental, um Serviço de Apoio Diagnóstico e Terapêutico (SADT), um Centro de Apoio ao Atendimento à Criança Vítima de Violência e um Centro de Especialidades Odontológicas (CEO).

A estrutura será distribuída em quatro andares, cada um com funções específicas, incluindo espaços dedicados ao bem-estar e entretenimento das crianças. O projeto foi pensado para criar um ambiente acolhedor, estimulante e reconfortante para as crianças e adolescentes.

Veja também:

João Campos repete estratégia do pai, 12 anos depois

- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Notícias

- Publicidade -