Ceará Sem Fome e garante segurança alimentar a milhares de famílias

Na oportunidade, foram entregues aos prefeitos os primeiros 47 mil cartões Ceará Sem Fome
Evento de lançamento do Comitê Ceará Sem Fome no Centro de Eventos do Ceará, com a presença do governador Elmano Freitas (PT), ministro Wellington Dias, vice-governadora Jade Romero e a primeira-dama Lia Freitas. Foto: Tatiana Fortes/Governo do Ceará

Na manhã desta sexta-feira (16), o governador Elmano de Freitas (PT) lançou o Pacto por um Ceará Sem Fome, que tem como objetivo o envolvimento do poder público, das organizações da sociedade civil e da iniciativa privada em prol de uma única causa: o combate a esse problema social crônico.

Entre as autoridades que participaram do lançamento, estavam a primeira-dama e principal articuladora do programa, Lia de Freitas, e o ministro do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome do Brasil, Wellington Dias. Os gestores das pastas executoras do Ceará Sem Fome também participaram do momento: a secretária da Proteção Social, Onélia Santana, e o secretário do Desenvolvimento Agrário, Moisés Braz.

Na oportunidade, foram entregues aos prefeitos os primeiros 47 mil cartões Ceará Sem Fome. A ação, que é uma das frentes do Programa junto à criação da Rede de Unidades Sociais Produtoras de Refeições, beneficiará mais de 200 mil pessoas de todas as cidades cearenses. Os beneficiários receberão, mensalmente, o valor de R$ 300 para a aquisição de alimentos.

O governador Elmano Freitas (PT). Foto: Tatiana Fortes/Governo do Ceará

O Programa Ceará Sem Fome, como reforça o governador Elmano de Freitas, une o Ceará, pelo bem de todos. “Une a sociedade civil, empresariado, movimentos sociais, igrejas e todos os cearenses”, avaliou. “Estamos unidos com ministros e o presidente Lula para enfrentar o problema que já havíamos superado e que, infelizmente, retornou, que é a fome no Brasil e no Ceará”.

O combate à fome, ainda de acordo com o governador, é um dos principais desafios do Governo do Ceará. “Vamos investir mais de R$ 160 milhões por ano para garantir que as famílias cearenses tenham o cartão no valor de R$ 300 e vamos estruturar mais de mil cozinhas, para termos mais de 100 mil refeições por dia”, afirmou Elmano de Freitas, acrescentando que a meta é tirar o Ceará e o Brasil da fome.

A primeira-dama Lia Freitas é a articuladora do projeto. Foto: Tatiana Fortes/Governo do Ceará

Articuladora do projeto, a primeira-dama Lia de Freitas ressaltou a importância do Programa e assegurou que o combate à fome será prioridade do Governo do Ceará. “Serão contempladas milhares de famílias que estão em situação de insegurança alimentar grave. Vamos entregar um cartão para as famílias beneficiárias e lançar a rede de unidades sociais produtoras de refeições. Serão cerca de 1.300 cozinhas em todo o estado do Ceará, contemplando cerca de 100 mil pessoas diariamente com refeições prontas”, explica.

O ministro do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome do Brasil, Wellington Dias, afirmou que, com o lançamento do Programa Ceará Sem Fome, um importante passo foi dado e será replicado em todo o País. “Estamos trabalhando o Brasil Sem Fome para garantir mais que transferência de renda. Com esse passo que o governador Elmano dá, integrado com os municípios, poderemos tirar mais gente da miséria”, disse o ministro.

- Publicidade -
O ministro do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome do Brasil, Wellington Dias. Foto: Tatiana Fortes/Governo do Ceará

“É um patamar melhor de renda por pessoa, com uma parte já sendo atendida pelo Bolsa Família. Isso garante o objetivo que é assegurar três refeições por dia”, parabenizou Wellington Dias, afirmando que em todo o Brasil são cerca de 21 milhões de famílias e só aqui no Ceará são mais ou menos 2,5 milhões de famílias.

O Ceará Sem Fome ocorrerá a partir de parcerias e envolverá diversas Secretarias estaduais. A secretária estadual da Proteção Social, Onélia Santana, lembrou que, apesar de todas as intervenções de combate à fome, feitas no estado, através do Cartão Mais Infância, beneficiando mães com crianças na primeira infância; através do Vale-Gás; do Mais Nutrição, com 137 entidades beneficiadas, a fome ainda persistia no Ceará. “Além dos programas sociais implantados pelo presidente Lula, como o Bolsa Família, ainda tinha famílias convivendo com a insegurança alimentar. Por isso, foi criada essa estratégia. Só na Secretaria da Proteção Social (SPS), o Governo investiu R$ 79 milhões para abraçar mais de 40 mil famílias mensalmente com o cartão de R$ 300”, comentou a secretária Onélia.

Na oportunidade, foram entregues aos prefeitos os primeiros 47 mil cartões Ceará Sem Fome. Foto: Tatiana Fortes/Governo do Ceará

Por sua vez, o secretário do Desenvolvimento Agrário, Moisés Braz, explica que a SDA terá participação importante no Programa. “Vamos trabalhar na montagem das cozinhas e insumos. Forneceremos por dia cerca de 100 mil refeições em todos os 184 municípios cearenses. Tudo isso numa política que dialoga com os movimentos sociais. Portanto, teremos participação direta para termos um Ceará sem fome”, falou o secretário. “É muito mais que distribuir comida, é garantir cidadania”, finalizou Moisés Braz.

A Assembleia Legislativa é parceira do Governo para o desenvolvimento do Programa. O presidente Evandro Leitão participou do lançamento e destacou a importância do poder público ser sensível às necessidades de cada cearense. “Essa ação indutora do Governo do Estado transcende a política de Estado. Ela é de toda a sociedade. Por isso é um pacto, onde há a participação da cadeia produtiva, temos o envolvimento da Igreja e do Parlamento. Nós, enquanto Parlamento, posso garantir que estamos engajados. Tanto que criamos uma Comissão de Proteção Social e Combate à Fome”, relatou o presidente da Assembleia Legislativa do Ceará.

O presidente da Associação dos Municípios e Prefeitos do Estado do Ceará (Aprece), Júnior Castro, contou ter encontrado o presidente Lula ainda nesta semana e ter ouvido a sua preocupação com o retorno da fome no Brasil, após sua extinção em 2013. “Agora, em 2023, temos 33 milhões de pessoas passando por vulnerabilidade alimentar, sem saber se no dia de amanhã terão alimento para suas famílias”, relatou. “E aqui, o Ceará demonstra para todo o País essa sensibilidade. A fome tem que ser erradicada e podem saber que os municípios e o Estado estão juntos pra fortalecer esse combate”, destacou.

ESPERANÇA

Por dia, cerca de 100 mil refeições em todos os 184 municípios cearenses. Foto: Tatiana Fortes/Governo do Ceará


Josilene Santos e sua mãe, Maria Josefina, são de Aracati e fizeram questão de seguir em caravana para participar do lançamento, em Fortaleza. “Esse programa é a esperança de muitas famílias, como a nossa, que teve dificuldades com a fome, principalmente na pandemia. Agora acreditamos que tudo vai melhorar”, comemorou.

Quem também não faltava motivos para comemorar era a maracanauense Eliane de Oliveira. “A fome assusta o mundo todo e quando vemos iniciativas como esta em nosso Ceará, renova a nossa esperança de um futuro melhor”, apontou.

Leia também:
Lula ‘proíbe’ ministros de criarem novas ideias antes de cumprirem o que já foi proposto
Ministro lança novo modelo de concessões rodoviárias. Editais somam R$ 66 bilhões
Salgueiro, Cabrobó e Belém do São Francisco (PE) ganham trecho renovado da BR-116/PE
Governador do Piauí apresenta diferenciais na produção de hidrogênio verde na Alemanha
Em Sergipe, Prato do Povo vai ofertar 75 mil refeições por mês para famílias em extrema pobreza
Aeroporto do Recife ganha voo Recife-Orlando e cresce malha aérea em junho
Quem segura João Campos em 2024?

- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Notícias

- Publicidade -