Primeiro shopping de Maceió festeja 35 anos com ampliação no mix de lojas

Localizado no bairro de Mangabeiras, o Maceió Shopping tem fluxo mensal de 1,2 milhão de pessoas e é responsável pela criação, direta e indireta, de mais de quatro mil empregos
Maceió Shopping, Alagoas
Inaugurado no dia 11 de abril de 1989 como Shopping Iguatemi, centro de compras conta atualmente com 300 operações de marcas nacionais e internacionais. Foto: Maceió Shopping/Divulgação

Todo alagoano já foi ou ouviu falar do primeiro e um dos principais shoppings do estado: o Maceió Shopping. Ele já foi nome de linhas de ônibus que ligam a parte alta da cidade à parte baixa e é lembrança viva para muitos moradores da cidade, sejam pelas idas ao cinema ou alguma loja âncora em funcionamento. Nesta quinta-feira (11), ele celebra 35 anos com expansão de lojas e abertura de mais postos de trabalho.

Fundado em 11 de abril de 1989, no bairro de Mangabeiras, o então shopping Iguatemi inaugurava uma nova era no comércio local, apostando em trazer para Maceió o primeiro shopping center, que já era realidade em diversas capitais do país.

Evolução do shopping

A unidade mudou o nome para Maceió Shopping, ampliou o espaço físico para abrigar mais lojas e outros empreendimentos e atualmente conta com 300 operações de marcas nacionais e internacionais.

Os anos passaram e Alagoas conseguiu levar a proposta de shopping centers para o interior do estado. Atualmente há cinco shoppings em funcionamento em Maceió, um em Arapiraca, Agreste de Alagoas, e outro em Delmiro Gouveia, no Sertão. Está em construção um novo shopping na capital, na parte alta da cidade, com previsão de entrega total em 2025.

Segundo o superintendente da unidade, Robson Rodas, para marcar uma data tão expressiva de atividade, o shopping vai ampliar a diversificação do mix de lojas e atua para captar eventos, exposições e outras atividades.

- Publicidade -

“Neste primeiro trimestre já tivemos a ampliação de lojas que fazem parte de nosso mall e estamos em fase de assinatura de contrato com marcas regionais. O que posso adiantar é que teremos novidades em breve nas áreas de moda e alimentação, com a abertura de novos postos de trabalho em um momento de retomada, importante para o varejo pós-pandemia”, disse.

Robson destaca o impacto econômico que a chegada do shopping provocou na década de 1990 e sua importância até hoje. “Registramos um fluxo mensal superior a 1,2 milhão de pessoas e para que tudo funcione como esperado, somos responsáveis pela criação, direta e indireta, de mais de 4.000 empregos, além da geração de impostos, reforçando o compromisso com o desenvolvimento da economia local”, afirmou.

Leia mais: Shopping novo em Maceió: Engenharq investe R$ 80 milhões

- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Notícias

- Publicidade -