Pernambuco envia manifestação ao STF contra ação de retomada de Fernando de Noronha

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no email
Fernando de Noronha, foto Eduardo Domingos/Pixabay

A Procuradoria-Geral do Estado de Pernambuco encaminhou hoje (29) ao Supremo Tribunal Federal (STF), manifestação prévia em resposta à ação apresentada pelo governo federal para retomar a titularidade dominial do arquipélago de Fernando de Noronha. A petição elenca os mesmos argumentos já acatados pela Justiça Federal em Pernambuco, e que demonstram a inconstitucionalidade do pleito da Advocacia-Geral da União. 

O texto da Constituição Federal de 1988 é claro: todas as ilhas oceânicas do país são de propriedade da União, com exceção das que pertencem ao arquipélago de Fernando de Noronha, que foram reincorporadas ao Estado de Pernambuco. O documento, com oito páginas, detalha o assunto e servirá de base para a audiência solicitada pelo governador Paulo Câmara ao ministro Ricardo Lewandowski, relator do caso no STF. 

Ações do Governo de Pernambuco em Fernando de Noronha

O Governo de Pernambuco tem trabalhado intensamente na infraestrutura da ilha, promovendo a melhoria de vida de seus moradores e a preservação do meio ambiente. São mais de R$ 50 milhões investidos em Fernando de Noronha nos últimos anos. Entre as ações realizadas, é possível destacar: 

– Instalação de quatro usinas solares. Duas já em operação e duas em obras; 

– Instalação de Ecoposto com energia produzida por placas fotovoltaicas, com capacidade para a recarga de até seis carros elétricos ao mesmo tempo; 

– Entrega de 26 casas populares e concessão de 315 lotes, diminuindo o déficit habitacional da ilha; 

– Melhoria do acesso em onze estradas vicinais; 

– Instalação de 370 lâmpadas de LED ao longo dos 7,5 quilômetros da BR-363, que corta toda a ilha; 

– Sinalização e balizamento noturno do aeroporto e dos morros do entorno; 

– Novo dessalinizador, com capacidade cinco vezes maior de produção de água potável, acabando com o rodízio no abastecimento da ilha; 

– Requalificação do Porto de Santo Antônio; 

– Reforma do Posto de Saúde da Família, requalificação do Hospital São Lucas e instalação de banco de sangue; 

– Inclusão de Noronha no Programa Mãe Coruja, com assistência às gestantes da ilha; 

– Requalificação e ampliação da creche, instalação de duas bibliotecas, parque infantil e campo de futebol society; 

– Programa Plástico Zero, que livrou a ilha das embalagens plásticas e diminuiu consideravelmente a contaminação do meio ambiente; 

– Programa Carbono Zero, com a inserção de veículos elétricos na ilha e a meta de eliminar a circulação de carros a combustão em Noronha até 2030; 

– Instalação do Laboratório de Economia Circular, que incentiva a reciclagem e gera renda para a população com o reaproveitamento de latas de alumínio. 

Leia Mais:

Bolsonaro entra com ação no STF para federalizar Fernando de Noronha

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Mais Notícias