Startups: negócios à vista em Portugal

Sebrae e Apex se unem para promoção de exportações de startups brasileiras para o mercado português e acordo pode impulsionar polos como o Porto Digital (Recife)

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no email
Startups do Porto Digital voltaram de Portugual com expectativas de exportações  que podem chegar a R$ 9 milhões
Startups de Pernambuco que participaram da Web Summit Lisboa 2023 voltaram com expectativas de exportações que, se concretizadas, podem chegar a R$ 9 milhões/Foto: Sebrae (Divulgação)

O Sebrae e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex) já começam a trabalhar no programa de exportações da área de tecnologia para Portugal anunciado semana passada, em Lisboa, pelo presidente da instituição, Décio Lima. O primeiro passo é um mapeamento detalhado dos polos de inovação mais relevantes do país e de startups com maior potencial de comércio exterior. Entre os ecossistemas que estão sendo analisados está o Porto Digital, no Recife.

O objetivo da parceria é incentivar a entrada de startups brasileiras no mercado português ou ampliar as operações das que já estão presentes, além de eventualmente contribuir para a prospecção de investidores que possam alavancar esses negócios e, quem sabe, transformá-los no próximo unicórnio – startup com valor igual ou superior a US$ 1 bilhão.

O acordo do Sebrae nacional com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex) foi anunciado na edição lisboeta da Web Summit, maior conferência de tecnologia da União Europeia. A base física do programa será na Casa Brasil-Portugal, espaço cedido pelo governo onde funciona uma plataforma de promoção de oportunidades, produtos e imagem do Brasil.

No local, os parceiros terão uma estrutura que servirá de ponto de conexão entre ecossistemas brasileiros de inovação e empresas de Portugal, com foco em exportações de soluções. O superintendente do Sebrae em Pernambuco, Murilo Guerra, acredita que esta iniciativa abrirá as portas do mercado europeu a startups dos mais diversos segmentos.

“Tornar Portugal a base para a geração de negócios com a Europa é de grande importância para alavancar os negócios emergentes de tech”, destaca o executivo.

O gerente de Negócios Inovadores do Sebrae local, Thiago Suruagy, destaca que “esse trabalho será muito importante para que o Sebrae consiga dar suporte completo às startups com potencial de internacionalização”. “Sem esse apoio o processo para o empreendedor brasileiro acessar o mercado português e europeu se torna muito mais difícil”, detalha.

Alan Barros, CEO da startup pernambucana Faturepag, contabiliza R$ 3 bilhões em operações por meio de sua plataforma
Alan Barros, da startup pernambucana Faturepag, comemora R$ 3 bilhões em operações por meio de sua plataforma e visa exportação de soluções/Foto: Faturepag (Divulgação)

Startups do Porto Digital terão oportunidade em Portugal

A formalização da ação conjunta Sebrae e Apex acontece num excelente momento das startups do Porto Digital em diversos segmentos, especialmente o de fintechs, no qual empresas como a Faturepag vem passando por um crescimento exponencial e olhando para fora do Brasil.

Criada em 2019, a Faturepag atinge este ano a casa dos R$ 3 bilhões em operações realizadas por meio de sua plataforma de pagamentos on-line. Turbinada, a startup tem investido em missões comerciais aos principais centros consumidores de tecnologia nos Estados Unidos, visando a estreia em grande estilo no comércio exterior, com exportações para o cobiçado mercado norte-americano.

Já em Portugal, antes mesmo da dobradinha Sebrae e Apex começar a rodar, começam a se abrir oportunidades para as sete startups pernambucanas que foram levadas pela instituição de apoio às micro e pequenas empresas ao Web Summit Lisboa 2023. Lovecrypto, Neuron, Gramaprint Brasil, Reneiva, Hap Gesso, MAPi, e NavalPort voltaram a Pernambuco, com expectativas de exportações que podem chegar a R$ 9 milhões se concretizadas.

Startus em alta no Nordeste

O programa de exportações coincide também com o crescimento dos polos de tecnologia tradicionais do Nordeste – como os de Recife, Fortaleza (CE) e Campina Grande (PB) – acompanhado pela estruturação de polos emergentes, como os de Salvador e Sergipe. Na capital baiana, o setor vem sendo impulsionado pela criação do Hub Salvador, coworking portuário pioneiro no país e que tem capacidade para abrigar 100 startups.

Em Aracaju, a Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe (Fapitec) anunciou recentemente um edital de R$ 1 milhão voltado para incentivar, por meio de bolsas, pesquisas na modalidade transferência de tecnologia (BTT). Os recursos são oriundos do Fundo Estadual para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funtec), gerido pelo governo sergipano. O objetivo é fomentar trabalhos acadêmicos que tragam impacto para o mercado e estimulem negócios de BTT. O edital segue aberto para submissão de propostas até 13 de janeiro próximo.

Leia mais sobre startups:

Fundada em 2019, fintech do Recife já alcança R$ 3 bi em transações

Ventiur e Facepe selecionam 10 startups para aceleração em Pernambuco

Circuito Alagoano de Startups promove 1ª Maratona de Inovação em Maceió

Startupbootcamp chega ao Brasil com a meta de investir em 20 mil startups

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Mais Notícias