Fundada em 2019, fintech do Recife já alcança R$ 3 bi em transações

Depois da fintech, CEO abriu um securitizadora para dar suporte ao negócio.

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no email
Alan Barros da Faturepag
Alan Barros, CEO da Faturepag/Foto: Sol Pulquério

O ecossistema de inovação de Pernambuco tem gerado muitos negócios disruptivos, estre eles as fintechs – empresas que oferecem soluções financeiras. O termo é uma combinação de duas palavras em inglês: financial (financeiro) e technology (tecnologia).

No final de 2019, às vésperas da pandemia da Covid-19, nasceu uma fintech no Recife chamada Faturepag. Este ano, a empresa deve processar R$ 3 bilhões em transações. A startup oferece uma plataforma de pagamentos online, que tem crescido de forma acelerada entre os pequenos e médios empreendedores do Norte, Nordeste e Sudeste.

A solução permite o gerenciamento de despesas, integrando conta digital, cartão de débito e um software de controle. A fintech ainda concede microcrédito de até R$ 30 mil para ajudar pequenos empreendedores com capital de giro.  

O serviço simplifica as transações comerciais, evitando impostos em cascata, segundo o CEO Alan Barros, que fez carreira no mercado financeira e tornou-se especialista em meios de pagamento. No setor de Turismo, a Faturepag já conta com oito mil agências credenciadas, que devem transacionar R$ 1,2 bilhão este ano na plataforma.

fintech Faturepag
Fintech tem plataforma que entrega 100% da transação conciliada/Foto: Sol Pulquério

Essas empresas, em geral, pagam mais impostos do que deveriam, porque ao vender um pacote de viagens, recebem pagamentos pelo hotel, restaurante e empresas de passeios, por exemplo. Mas, com a Faturepag, esses serviços, ao serem contratados, têm seus pagamentos direcionados para quem os fornece, desde que os parceiros comerciais estejam cadastrados. Assim, a agencia de turismo passa a receber apenas o que lhe cabe. Os valores destinados ao hotel, restaurante ou empresas de passeios vão direto para suas contas bancárias.

Fintech cresce no comércio

No comércio, a Faturepag tem ajudado nas relações entre atacadistas e varejistas com um sistema capaz de apresentar 100% da transação conciliada e garantia de crédito. Já são 25 mil pequenos varejistas usando a plataforma. O interessante é que são os próprios atacadistas que estão ajudando a fintech a crescer, porque têm a certeza de que vão receber pelas vendas e propagam a solução.

E essa certeza vem da Apoena Securitizadora, que foi fundada pelo CEO e outro sócio no último mês de junho. Para esta operação, foram emitidos R$ 45 milhões em debêntures. Os recursos vão exclusivamente para os comerciantes que precisam de capital de giro para honram suas compras. A operação de debêntures vai ajudar a Apoena a movimentar R$ 50 milhões em crédito ao longo de 2024.

Leia também:

Freitas avança em utilidades domésticas no NE em 2024

Inteligência Artificial avança e desafia educação digital no Brasil

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Mais Notícias