Abrasel diz que mais de 30% dos bares e restaurantes pretendem contratar

O estudo também destaca outros sinais de recuperação do setor de bares e restaurantes.

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no email
bar e restaurante
Mais vagas em bares e restaurantes/Foto: Pixabay

Levantamento divulgado nesta segunda-feira (13) pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) mostra que 35% de empresários de bares e restaurantes do país pretendem contratar funcionários até o final do ano, mais da metade (58%) deve manter o número de empregados e 7% poderão demitir parte das equipes.

Como motivos para ampliar o quadro de funcionários, os empresários indicaram o reforço para que os estabelecimentos deem conta das demandas da época (62%), atender a necessidades de gestão e reorganização do negócio (22%) e renovar a equipe (20%). Os que desejam abrir filiais ou novas unidades somam 8%.

Em Pernambuco, a pesquisa aponta que 31% dos empreendedores pretendem contratar funcionários até o fim de 2023. Outros 62% esperam manter o quadro atual de funcionários e somente 7% indicaram que podem demitir.

Motivação para contratar

Entre os motivos mais citados para as novas contratações estão: suporte para o aumento da demanda (66%), lançamento de novos serviços e/ou produtos (17%), necessidade de gestão e reorganização (17%) e abertura de nova filial e/ou unidade de negócios (11%). Aos entrevistados que pretendem contratar, foi dada a opção de múltiplas escolhas sobre os motivos.

O estudo também destaca outros sinais de recuperação do setor. De acordo com os resultados da pesquisa, 35% das empresas tiveram lucro em setembro, um aumento em relação aos 31% registrados em agosto. Além disso, 44% das empresas ficaram em equilíbrio, contra 47% no mês anterior.

Outro dado interessante do levantamento é que mais de um quarto das empresas optaram por não reajustar o cardápio, mostrando uma preocupação em manter os preços acessíveis para os clientes. Entre aqueles que realizaram ajustes, 33% optaram por reajustes abaixo da inflação dos últimos 12 meses, enquanto 34% ajustaram seus preços conforme a inflação e 6% optaram por ajustes acima da média.

“Apesar das inúmeras dificuldades enfrentadas pelo setor de alimentação fora do lar nos últimos anos, os resultados da pesquisa mostram que estamos no caminho da recuperação. É muito pouco ainda, mas é positivo ver que 35% das empresas tiveram lucro em setembro. Além disso, a perspectiva de contratações para o final de ano é um sinal de que os empresários estão confiantes na retomada da economia e na demanda dos consumidores”, diz Tony Sousa, presidente da Abrasel em Pernambuco.

Endividamento dos restaurantes

Ainda assim, apesar dos sinais de recuperação, quando o assunto é endividamento, 38% dos estabelecimentos ouvidos dizem ter dívidas em atraso. Dentre esses, 65% acumulam débitos relacionados a impostos federais, 44% impostos estaduais, 44% encargos trabalhistas, 33% fornecedores de insumos, 26% taxas municipais, 26% devem o aluguel, 21% serviços públicos, 7% fornecedores de equipamentos e 5% empregados.

A pesquisa da Abrasel em Pernambuco é um importante indicador da situação do setor de alimentação fora do lar no estado e pode ajudar empresários e investidores a tomar decisões estratégicas para o futuro.

Leia também:

Produção de carro voador começa em 2024 no Ceará

Mercado reduz previsão da inflação de 4,63% para 4,59% este ano 

Hapvida NotreDame Intermédica reduz dívida líquida no 3º trimestre

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Mais Notícias