Câmara aprova Política Nacional de Linguagem Simples

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no email
O deputado Pedro Campos foi o relator da matéria. Foto: Chico Ferreira
O deputado Pedro Campos foi o relator da matéria. Foto: Chico Ferreira

A Câmara dos Deputados aprovou, na última terça-feira (5/12), o projeto de lei nº 6256/2019, que institui a Política Nacional de Linguagem Simples nos órgãos e entidades da administração pública direta e indireta. O deputado Pedro Campos (PSB-PE), relator da matéria em Plenário, celebrou o importante avanço que o PL representa para o Brasil.

“O objetivo principal do projeto é garantir que a comunicação do poder público seja de fácil entendimento pela população. A Linguagem Simples é um instrumento importante para isso e irá beneficiar todas e todos e, principalmente, às pessoas com deficiência intelectual”, afirmou.

Para o deputado, a ferramenta fortalece a transparência na comunicação e a acessibilidade para pessoas com deficiência intelectual. “Tornar a Linguagem Simples uma exigência para a comunicação do poder público fortalece o acesso à informação e o controle da gestão pública pelo povo”, afirmou.

O PL reforça as previsões da Lei 13.460/2017, que estabelece a utilização de Linguagem Simples e compreensível como diretriz a ser observada por todos os agentes públicos, com objetivo de fortalecer a transparência e o pleno exercício da cidadania mediante a utilização, na comunicação oficial, com uso de linguagem direta, clara e objetiva, de modo a facilitar a compreensão de todos. “É fundamental que os governos consigam se comunicar com a população e simplificar essa comunicação é essencial, principalmente para as pessoas com deficiência intelectual”, ponderou.

O relatório do deputado federal Pedro Campos foi aprovado no Plenário da Câmara com uma emenda ao texto, referente a proibição de linguagem neutra no uso da ferramenta. O parlamentar votou contra a emenda e lamentou que a matéria objeto do PL seja mal compreendida pelos parlamentares que aprovaram essa alteração ao texto. “A Linguagem Simples ainda está sendo assimilada no Brasil e no mundo e, por isso, ocorre a má compreensão de seu objetivo principal. Infelizmente a emenda aprovada foge da esfera de debate sobre o uso dessa importante ferramenta”, afirmou.

O projeto segue para análise do Senado, que poderá derrubar a emenda aprovada na Câmara.

Leia também:
Raquel Lyra faz balanço do primeiro ano de gestão em Pernambuco
Alepe aprova orçamento de 2024 com acréscimo de R$ 1,1 bilhão
Governo Federal pagará auxílio a pescadores e marisqueiras de Maceió
Mina da Braskem em Maceió afunda a 2,6 centímetros por hora
Governador de Alagoas leva ‘Caso Braskem’ à Presidência, Congresso, STF e TCU
Peixe na água e rede vazia: desastre da Braskem atinge pescadores
Prefeito de Maceió apresenta levantamento de danos ao governo federal

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Mais Notícias