Pernambuco cria comitê para cuidar da transição energética

O objetivo é formar uma visão unificada e encaminhar uma proposição ao governo do Estado para definir estratégia de ação.
Comitê de descarbonização de Pernambuco
Comitê de Descarbonização de Pernambuco/Foto: divulgação Fiepe

O Comitê de Transição Energética e Descarbonização de Pernambuco começa a tomar forma. Uma reunião realizada nesta segunda-feira (28), na sede da Casa da Indústria, reuniu secretários de estado, empresários, gestores de órgãos públicos e representantes do sistema Fiepe para definir as estratégias no processo de transição energética.

“Precisamos integrar as visões do governo, de estado, da academia e dos investidores para definir e promover a transição energética em Pernambuco”, disse Oziel Alves, diretor industrial do Senai-PE.

A transição energética implicará em mais indústrias que produzem subprodutos verdes, como combustíveis e fertilizantes, e isso requer energia limpa para a cadeia de produção. Haverá demanda para a renovação do parque industrial, com máquinas e equipamentos adequados a essa nova realidade. E a necessidade de garantir uma maior oferta de energia renovável e mão de obra capacitada.

“Uma iniciativa importante, que já vem sendo há muito aguardada pelo setor industrial porque reúne o setor produtivo, o acadêmico e o governo do Estado em torno de uma temática fundamental para a retomada dos investimentos em Pernambuco”, destacou o presidente da FIEPE, Ricardo Essinger.

Para o secretário de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco, Guilherme Cavalcanti, os desafios que virão pela frente são muito grandes. Mas as oportunidades são maiores ainda. “Sabemos que o trabalho exigirá desdobramentos em diversas etapas e uma profundidade de expertise em temas que não teríamos sozinhos. Com esse grupo, nosso objetivo é formar uma visão unificada e encaminhar uma proposição ao governo do Estado para definir uma política de desenvolvimento para o Pernambuco”, disse. 

- Publicidade -
Comitê de descarbonização de Pernambuco
Ricardo Essinger, ao centro, foi o anfitrião da reunião/Foto: divulgação Fiepe

O comitê será formalizado em breve. Segundo Oziel Alves, algumas entidades ainda serão convocadas a participar, mas outras como Governo de Pernambuco, Porto de Suape, Copergás, Senai, Fiepe, Instituo de Tecnologia Moura, Brennand Energia, Atiaia Energia, Instituto Avançado de Tecnologia da informação (IATI) e o Instituto de Pesquisa em Petróleo e Energia (LITPEG) da UFPE já estão confirmados.

Leia também:

O Reino Unido estabelece metas na produção de hidrogênio de baixo carbono

- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Notícias

- Publicidade -