Suape contrata Observatório da Indústria para orientar decisões estratégicas

“Temos toda aquela atividade em Suape, na sua zona industrial, mas não sabemos bem o que vem sendo produzido ali", diz o secretário Maurício Laranjeira.

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no email
Suape
O presidente de Suape, Marcio Guiot (centro), assina contrato com o Observatório da Indústria ladeado por Maurício Laranjeira (D) e Ricardo Essinger (E)/Foto: divulgação

A direção do Complexo de Suape assinou, na tarde desta quinta-feira (25), contrato com o Observatório da Indústria com objetivo de obter informações que orientem na busca por novos investimentos. O serviço da instituição, ligada ao Senai Pernambuco, se dará em parceria com a Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD), vinculada à ONU.

A motivação para esse contrato decorre do fato de que o mercado global oferece um excesso de informação e de dados que Suape não consegue acompanhar. “É um contexto de mudanças estruturantes e cenários econômicos que se alteram com muita rapidez”, justifica o diretor de Desenvolvimento e Gestão Industrial da estatal, Arthur Neves.

Sedo o principal ativo econômico de Pernambuco, Suape precisa acompanhar tudo isso não só do ponto de vista da logística, mas também da sustentabilidade e da industrialização. “Somos gestores de 12 clusters, que envolvem desde produção de energia a alimentos e medicamentos”, ressalta Neves.

Eficiência de Suape

O Observatório da Industria é um centro de inteligência, criando em abril de 2023, que realiza pesquisas e gera informações estratégicas para o setor produtivo. No contrato com Suape, vai passar a oferecer uma base de dados importante para tomada de decisões, tanto para relacionamento com a comunidade empresarial instalada, como para novos negócios que Suape deseja atrair.

O centro faz uso de tecnologias com forte viés em aprendizagem da máquina, inteligência artificial, big data e internet das coisas. A aplicação de ferramentas, metodologias e abordagens avançadas são fundamentais para aprimorar a eficiência operacional do Porto de Suape, segundo Neves.

“Isso nos ajudará a atrair investimentos usando a lógica das cadeias complementares, a partir de estudos e análises da capacidade que temos instalada”, completa. A ideia é identificar negócios que venham se agregar ao portfólio do parque industrial do complexo.

BID

Embora as tratativas para a contratação tenham iniciado em julho de 2023, o negócio se encaixa perfeitamente no momento atual. Na semana passada, o governo de Pernambuco promoveu um treinamento, através do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), para agentes do estado com foco na atração de investimentos.

“No curso, buscou-se redesenhar a proposta de valor do estado. Mas também, alinhar a forma de atuação dos diversos agentes que trabalham com atração de investimentos. Redesenhamos o Produto Pernambuco, que tem como joia da coroa exatamente o Porto de Suape, considerado assessórios relevantes como o ambiente digital e a sustentabilidade”, explica o secretário-executivo de Desenvolvimento Econômico, Maurício Laranjeira.

O secretário acrescenta que o Observatório da Indústria vai ajudar a gestão Portuária a entender melhor quais áreas são possíveis desenvolver mais na região de Suape e que setores têm mais condições de atrair investimentos com base em dados concretos. “Temos toda aquela atividade em Suape, na sua zona industrial, mas não sabemos bem o que vem sendo produzido ali. Conhecer essa realidade é importante para podermos traçar estratégias para atração de investimento”, completa Laranjeira.

A assinatura do contrato ocorreu no auditório do Observatório da Indústria, na área central do Recife, com a presença do diretor-presidente do Complexo Industrial Portuário de Suape, Marcio Guiot e do presidente da Federação das Indústrias de Pernambuco (Fiepe), Ricardo Essinger, entre outras autoridades.

“O mercado é dinâmico e nós, como um porto-indústria de relevância para o mercado regional e nacional, temos que estar em conformidade com tudo o que há de mais inovador em nossas áreas de atuação. Essa parceria viabilizará o crescimento do porto e do complexo, auxiliará na busca por players de interesse para se estabelecer no território estratégico e compartilhar conhecimentos sólidos do mercado global”, afirma o Neves.

Leia também:

BID estrutura “departamento comercial” para Pernambuco

Suape vira porta de saída para açúcar de usinas da Mata Sul

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Mais Notícias