Comércio pernambucano está mais otimista, diz Fecomércio-PE

Mas, empresários do comércio de bens duráveis estão pessimistas. Trata-se de um sentimento influenciado pelo alto valor do crédito.
comércio
Gestores das empresas menores, com até 50 funcionários, têm uma expectativa positiva de contratação/Foto: Agência Brasil

A Fecomércio Pernambuco divulgou o segundo recorte do Índice de Confiança dos Empresários do Comércio (ICEC/CNC), calculado pela CNC. No mês de julho, ele avançou: 57,2% dos comerciantes de bens não duráveis, como alimentos, bebidas, combustíveis e medicamentos, afirmaram estarem otimistas com as condições atuais do setor. 

Os dados de inflação ajudam a explicar as expectativas. O índice de inflação (IPCA) do IBGE registrou para o mês de julho uma inflação acumulada em 12 meses de 3,16%, no Brasil, e 2,47%, em Recife. Esse resultado representa uma contração em relação à trajetória dos últimos meses e indica um melhor poder de consumo, principalmente entre famílias com renda mais baixa. 

Gestores das empresas menores, com até 50 funcionários, têm uma expectativa positiva de contratação de colaboradores para os próximos meses: cerca de 60,1% afirmam que vão aumentar o quadro de empregados. Destaca-se o setor de semiduráveis (vestuários, calçados, perfumes), no qual 66,7% dos empresários acreditam que vão empregar mais nos próximos meses.

Pessimismo no comércio de bens duráveis

Para o mês de julho, o ICEC/CNC revela que os grupos de atividades que comercializam bens duráveis (geladeira, máquina de lavar, fogão…) estão pessimistas em relação às condições atuais da economia brasileira. Trata-se de um sentimento influenciado pelo alto valor do crédito ao consumidor e pelo grau de endividamento das famílias, este último exposto na Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC).

O economista da Fecomércio-PE, Rafael Lima, afirma que “Os dados do ICEC de julho, em Pernambuco, seguem em retomada do otimismo entre os empresários do comércio. Há uma boa expectativa para o setor varejista, influenciada, principalmente, pela perspectiva de redução da Selic no mês de agosto. Além disso, o segmento de semiduráveis é o mais propenso a contratar funcionários nos próximos meses, enquanto os não duráveis foram os mais dispostos a investir.” 

- Publicidade -

Recorte

O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC), elaborado pela CNC e publicado nesta quarta-feira (26/07), ganhou um recorte especial para o estado de Pernambuco, feito pela Fecomércio-PE. A sondagem do ICEC objetiva mensurar o nível de confiança dos empresários e as tendências de ações empresariais nos segmentos do varejo, tais como a propensão para investir e para contratar funcionários. Além disso, a pesquisa avalia a percepção empresarial acerca das condições atuais e futuras de suas empresas e da economia.

Os dados são obtidos junto a 335 empresas da capital pernambucana. O índice 100 marca a fronteira entre a insatisfação e a satisfação do empresário, isto é, abaixo de 100 pontos indicam pessimismo, enquanto acima de 100 pontos indicam otimismo do empresário.

O ICEC é um indicador que precede o comportamento dos empresários do comércio. Assim, serve de instrumento complementar para tomada de decisão dos empresários, acompanhamento do setor e grupos e aliado do planejamento público e privado.

Leia também:

Mercado reduz previsão da inflação de 4,9% para 4,84% este ano

À espera do corte na Selic, especialistas analisam melhores investimentos

- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Notícias

- Publicidade -