terça-feira, 16/04/2024

Nordeste tem pior desempenho no número de empresas exportadoras: -1,6%

Em compensação, Nordeste registrou o maior crescimento percentual em relação às empresas exportadoras de pequeno porte
exportações
Só pequenas empresas do Nordeste tiveram saldo positivo nas exportações / Foto: Divulgação Porto de Suape

O Nordeste foi a única região a apresentar queda no total de companhias que vendem para o exterior. As regiões Norte e Centro Oeste lideraram o crescimento de empresas brasileiras exportadoras em 2023, segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior, ligada ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC).

Divulgou nesta quarta-feira (03), o estudo foi elaborado com base no porte fiscal das empresas, com cruzamento de dados com origem (regiões e estados), produtos vendidos e destino das mercadorias.

- Publicidade -

No ano passado, o Brasil alcançou o recorde de 28.524 firmas vendendo para o exterior, alta de 2% em relação a 2022. No recorte regional, o Norte teve o maior crescimento percentual: 8,8%. Na sequência, aparecem Centro-Oeste (+8%), Sul (+2,6%) e Sudeste (+1,4%).

Desempenho do Nordeste

O Nordeste registrou queda de 1,6% no total de companhias que vendem para o exterior. O resultado foi puxado pelo número de micro e grandes empresas exportadoras: -3,9% e -2,4%, respectivamente. Em compensação, a região registrou o maior crescimento percentual em relação às empresas exportadoras de pequeno porte: 7,5%.

Entre as empresas de grande porte, a maior alta percentual ocorreu no Centro-Oeste (+11%). Em relação às microempresas que vendem para o mercado exterior, a maior alta foi registrada no Norte (+10%).

- Publicidade -

Apesar do crescimento no Norte e no Centro-Oeste, os números absolutos mostram que ainda é muito grande a concentração de firmas exportadoras no Sudeste e no Sul. As duas regiões respondem por 83,6% das microempresas, 88,3% das pequenas e 87,7% das médias e grandes exportadoras.

Ranking

Das 28.524 firmas exportadoras registradas em 2023, segundo o estudo da Secretaria de Comércio Exterior, 59% são médias e grandes, 21,2% são microempresas e 18,9% são de pequeno porte. Há ainda 0,8% de empresas classificadas como não mercantis, categoria que abrange fundações sem fins lucrativos e empresas governamentais.

Em relação ao tamanho da empresa, as médias e grandes exportadoras registraram o maior crescimento percentual em relação a 2022, com 3% de expansão em nível nacional. O número de pequenas exportadoras subiu 1% e o de microempresas caiu 0,1%.

Entre os setores de atividade econômica, o destaque ficou com a agropecuária, com crescimento de 7% nas empresas médias e grandes e de 4,5% nas de pequeno porte. A indústria de transformação também cresceu nesses dois segmentos, com expansão de 2,6% e 1%, respectivamente.

Em relação aos destinos dos produtos, a China lidera em todas as categorias, com crescimentos percentuais de 17% (pequeno porte), 9,8% (médias e grandes) e 1% (microempresas).

Leia também:

Com cabotagem e CD em Pernambuco, Companhia das Letras fica mais nordestina

No Nordeste, cidades pernambucanas lideram na locação de galpões

- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Notícias

- Publicidade -