Nordeste lidera crescimento no consumo de produtos orgânicos

A região Nordeste apresentou o aumento mais significativo no consumo de orgânicos no país.

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no email
orgânicos
Produtos orgânicos/Foto: Pixabay

Instituto Organis, um centro de estudos sobre sustentabilidade e alimentação saudável, apresentou os resultados da pesquisa “Panorama do Consumo de Orgânicos no Brasil 2023”. O estudo revela que a cada mil brasileiros, 360 se declaram consumidores de orgânicos e aponta que um crescimento de 16% no consumo deste tipo de alimento no país, entre 2021 e 2023. E o Nordeste desponta com grande crescimento no consumo desses produtos. 

Atualmente, quase 46% da população brasileira consome alimentos orgânicos, o que demonstra uma crescente conscientização sobre os benefícios desses produtos para a saúde e o meio ambiente. Além disso, a pesquisa apresenta detalhes demográficos estratégicos sobre os consumidores de alimentos orgânicos e os “não consumidores”. Os resultados fornecem um panorama para produtores e interessados no tema a conduzirem seus negócios.

 A pesquisa foi divulgada ao final do 17º Fórum Internacional de Produção Orgânica e Sustentável, realizado durante a BioBrazil Fair e a Naturaltech, encerrada no último dia 15, em São Paulo.

Nordeste em alta

Ouvindo consumidores de todo o Brasil, uma das surpresas do estudo está no Nordeste. A região apresentou o aumento mais significativo no consumo de orgânicos no país, de 32% em 2021 para 45% em 2023. Em segundo lugar, aparece o Centro Oeste com 42% na pesquisa atual, contra 39% na anterior. Seguido pelo Sudeste, registrando aumento de 26% para 30%. 

A região Norte teve aumento de 1% entre as pesquisas de 2021 – 15% – para 16% em 2023. O Sul manteve os 39% nas duas edições. “Hoje, o Brasil ocupa a quarta posição entre os maiores consumidores do mundo de produtos naturais”, explica Valeska Oliveira, head de produto da Francal Feiras. 

Consumidor mais atento

Um dos principais motivos para o aumento no consumo de alimentos orgânicos é a associação direta com uma opção mais saudável. “Os consumidores estão buscando alimentos livres de agrotóxicos e priorizando uma alimentação equilibrada e nutritiva”, revela Cobi Cruz, diretor executivo da Organis e responsável em apresentar a pesquisa.  

Além da saudabilidade, a crescente conscientização sobre o meio ambiente, principalmente entre a população mais jovem, é um dos fatores de crescimento. Esse público busca alimentos, bebidas e outros itens, como vestuário e cosméticos, mais naturais, sem conservantes e aditivos químicos, sem crueldade animal e produzidos por empresas atentas a todas as questões de ESG, como inclusão social, a geração de novos negócios, o desenvolvimento econômico de diversas áreas e a sustentabilidade do planeta.

Embalagem para orgânicos

Sendo assim, a embalagem se tornou um fator relevante na decisão de compra para os consumidores mais engajados, que procuram adquirir alimentos de empresas comprometidas com a reciclagem e gestão de resíduos.

Os alimentos orgânicos mais consumidos no Brasil são a banana, a batata e a alface. O principal local de compra é o supermercado, mas 83% dos compradores preferem ver esses produtos em gôndolas ou seções específicas. O reconhecimento dos produtos pelo selo de certificação orgânico também se mostrou importante para 13% dos consumidores. 

Desafios do setor

A pesquisa aponta também a necessidade de divulgar e ampliar a variedade de produtos orgânicos disponíveis, como carnes, leite e derivados, vinhos, óleos, farinhas, matinais, grãos e açúcar, inclusive em suas versões industrializadas. 

Embora o preço ainda seja um ponto relevante entre os compradores, eles reconhecem as razões para os valores mais elevados desses produtos. A maioria – 43% dos consumidores – está disposta a pagar em torno de 20% a mais pelos alimentos orgânicos em relação aos convencionais, porque avaliam que esses itens vêm de uma produção sem agrotóxico, mais lenta e em menor escala, com o produtor focando na qualidade ao invés da quantidade. 

A Bio Brazil Fair| BIOFACH América Latina é uma amostra do potencial desse mercado. “Temos visto cada vez mais marcas apostando em propósitos de construir um mundo melhor. Estas são feiras voltadas para negócios, lançamentos, conteúdos, veganos e não veganos, ou seja, totalmente inclusivas e com o propósito de deixar um legado positivo para o nosso planeta”, comenta Valeska Oliveira.   

O Instituto Organis disponibiliza a pesquisa completa de forma gratuita para aqueles interessados em conhecer mais detalhes sobre o consumo de alimentos orgânicos no Brasil. O relatório pode ser acessado no site oficial, no Link. Ele é realizado a cada dois anos em parceria com a Brain Inteligência Estratégica e conta com o apoio da Mercado Inteligente e QIMA IBD.
 

Leia também:

População idosa cresce a atinge 10,5% do total do país

Haddad cobra juros mais baixos depois de melhora na nota da Standard & Poor´s

Dólar cai para R$ 4,80. O menor valor desde junho do ano passado

Raquel Lyra tem proposta sobre piso dos professores rejeitada por duas comissões na Alepe
Governador do Piauí apresenta diferenciais na produção de hidrogênio verde na Alemanha
Em Sergipe, Prato do Povo vai ofertar 75 mil refeições por mês para famílias em extrema pobreza
Aeroporto do Recife ganha voo Recife-Orlando e cresce malha aérea em junho
Quem segura João Campos em 2024?

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Mais Notícias