Maria Arraes convoca audiência para debater medidas de Pernambuco contra desastres climáticos

Audiência pública convocada por Maria Arraes seria no próximo dia 22, em Bras´lia, e deverá contar com integrantes do Governo
Maria Arraes quer debater prevenção a desastres climáticos em Pernambuco Foto: Zeca Ribeiro/Câmara Federal

A tragédia climática que atinge o Rio Grande do Sul acendeu o alerta e vem provocando o debate sobre como os outros estados brasileiros se prepararam ao longo dos anos para enfrentar eventos desse tipo. Preocupada com a situação de Pernambuco, a federal Maria Arraes convocou uma audiência pública na Câmara dos Deputados para debater estratégias de prevenção e planejamento contra desastres climáticos no Estado.

O encontro estava previsto para esta quarta-feira (15). No entanto foi agendado para o próximo dia 22. O motivo do adiamento foi a falta de confirmação das secretarias do governo do Estado.

De acordo com a parlamentar, a audiência pública será importante para que a gestão estadual apresente o que vem sendo feito para evitar que desastres, como o que ocorreu em 2010, na Mata Sul, e 2022 na Região Metropolitana do Recufe, voltem a ocorrer.

“A audiência é uma oportunidade para que o governo de Pernambuco detalhe as providências que estão sendo tomadas para atravessar o período de chuvas no nosso Estado. Planejar e executar ações preventivas é o único caminho para evitar tragédias com a magnitude da que está ocorrendo no Rio Grande do Sul e que nos atingiu em 2022, quando Pernambuco também sofreu com temporais, enchentes e deslizamentos que deixaram 140 pessoas mortas e mais de 122 mil desalojadas”, ressalta a deputada federal.

Maria Arraes quer integrar experiências

O encontro servirá, explica Maria Arraes, para integrar conhecimentos técnicos, experiências das comunidades afetadas e inovações que possam prevenir futuras catástrofes.

- Publicidade -

De Pernambuco, foram convidados gestores da Secretaria de Mobilidade e Infraestrutura de Pernambuco; da Secretaria Executiva de Defesa Civil do Estado e da Agência Pernambucana de Águas e Clima, além de representantes da sociedade civil e lideranças que enfrentaram a calamidade provocadas pelas chuvas de 2022 dentro das comunidades atingidas.

“Estamos assegurando que as populações mais vulneráveis às ameaças climáticas tenham suas vozes ouvidas, para que suas necessidades sejam priorizadas no planejamento. Precisamos garantir que as tragédias climáticas não sejam tratadas como surpresas, mas como desafios que podemos e devemos antecipar, para gerenciá-los da melhor forma”, afirma Maria Arraes.

As chuvas castigaram o Rio Grande do Sul estão na mira de Maria Arraes Foto Gustavo Mansur Palácio Piratini

A audiência pública ocorrerá em formato híbrido e pode ser acompanhada pelo público também através do site da Câmara dos Deputados (camara.leg.br).

Temporais de 2022

Assim como ocorre no mundo, esses eventos climáticos demonstraram a vulnerabilidade da capital pernambucana e demais distritos da Região Metropolitana de Recife (Pernambuco), frente aos extremos da variabilidade do clima.

O desastre das chuvas que atingiu Pernambuco em 2022 ficou marcado como a maior tragédia natural do século no estado. Em 28 de maio daquele ano, quase 17% de toda a área urbana do Grande Recife foram atingidas por enchentes. As fortes chuvas afetaram 130 mil pessoas e provocaram 133 mortos, principalmente em Jardim Monte Verde, em Jaboatão dos Guararapes, conforme dados da Defesa Civil de Pernambuco.

Na ocasião, choveu mais de 500 milímetros no Grande Recife. Esse volume, considerado fora do padrão pelos pesquisadores.

Veja também:

Infraestrutura atingida por chuvas custará R$ 19 bi, diz governo do RS

- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Notícias

- Publicidade -