BB reforça programa Corporate Venture Capital com dois novos fundos

Patricia Raposo

Patricia Raposo

Jornalista lorem ipsum @lorenipson

Compartilhe:

Da redação com informações do BB

O programa de Corporate Venture Capital (CVC), do Banco do Brasil passa a contar com dois fundos de investimento proprietário. É uma iniciativa compartilhada com as gestoras MSW Capital e Vox Capital. Os fundos espelham a tese de investimento em CVC do BB.

A MSW Capital é uma gestora reconhecida pelo pioneirismo em Corporate Venture no Brasil, por conseguir gerar valor na integração entre as corporações e startups. Em seu portfólio, a MSW conta com startups de diversos segmentos, o que traz um olhar ampliado com vasta experiência para viabilizar o smart money, atraindo empreendedores e espelhando a Tese de investimento do BB em seu novo programa de Corporate Venture Capital.

Já o fundo com a VOX Capital tem foco em Impacto e ASG. A gestora é pioneira em investimentos de impacto na América Latina. Eleita oito vezes entre os 50 melhores gestores de investimento de impacto do mundo, em seu portfólio, contam com investimentos em negócios como diversidade e inclusão, desenvolvimento do potencial humano, maximização da qualidade de vida e bem-estar, inclusão financeira e proteção ambiental. Esse fundo está alinhado com os objetivos do BB de aprimorar seus negócios e processos, alinhando-se às melhores práticas mundiais contribuindo com a responsabilidade socioambiental e a geração de resultados sustentáveis

O CVC é uma ferramenta usada pelo BB para impulsionar a inovação aberta, ajudando empresas a desenvolver novos negócios, ampliar os mercados nos quais atua e prover uma melhor experiência para seus clientes.  “O BB enxerga um grande potencial com essa iniciativa, pois as startups oferecem um modelo de negócio centrado no cliente e com soluções inovadoras. Estar próximo delas é uma forma de trocar experiências, aprendizados, incorporar novas tecnologias e aumentar a competitividade. Alinhado a isso, a oportunidade de investir em startups de impacto gera ainda mais valor, não só para o BB, como também para a sociedade e todo o ecossistema”, afirma Pedro Bramont, diretor de negócios digitais do Banco do Brasil.

O programa de CVC do BB

O programa de corporate venture capital do Banco do Brasil está alinhado com as forças e a estratégia da instituição, por isso a tese de investimento se baseia nos seguintes pilares:

– Verticais de investimento: agtechs, experiência do cliente, fintechs e govtechs;
– Estágio de maturidade: foco nos estágios seed e Série A, com produtos testados e clientes;
– Parcerias: gestores de venture capital, startups) e aceleradoras;
– ESG: priorização de startups que tenham objetivos, métricas e metas claras de impacto social, ambiental e de governança responsável.

No primeiro semestre de 2021, o BB já havia feito aporte em três outros fundos de venture capital – o Journey IV, gerido pela Astella Investimentos; AG Ventures II, gerido pela SP Ventures; e o fundo Indicator 2 IoT, da gerido pela Indicator Capital.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Mais Notícias

Desenvolvido por Investing.com