NE voltará a ter voos diretos para EUA, Europa e África, mas rotas sumiram com a pandemia

Apesar de ser a região brasileira mais próxima da África, América do Norte e Europa, há poucas opções disponíveis e passagens até mais caras do que as vendidas em Guarulhos (SP)
Arte voo praia do Nordeste
Arte: ME

Atingida diretamente pela pandemia, a malha aérea ligando o Nordeste ao mundo vai, aos poucos, recuperando as rotas existentes para a América do Norte, Europa e África. Apesar de ser a região brasileira mais próxima destes destinos, há poucas opções disponíveis e passagens até mais caras do que as vendidas em Guarulhos (SP), que concentra no Brasil a maioria dos voos internacionais para 25 países diferentes.

Do Nordeste, pode-se embarcar diretamente para Lisboa (Portugal), Madri (Espanha), Paris (França), Buenos Aires (Argentina), Montevidéu (Uruguai) e Miami, Orlando e Fort Lauderdale (Estados Unidos). Em 2018, o Recife possuía 16 rotas internacionais. Fortaleza 12 e Salvador outros 9.

O Ceará é um exemplo de como os nordestinos querem voar. De acordo com dados da Fraport Brasil, empresa administradora do aeroporto internacional Pinto Martins, o terminal de Fortaleza registrou no primeiro trimestre deste ano “a mais expressiva performance na era pós-pandemia em relação aos voos internacionais”, com mais de 100 mil passageiros em cerca de 550 pousos e decolagens internacionais na capital cearense.

A TAP, que faz a rota direta Fortaleza-Lisboa, atingiu a marca histórica transportando 48 mil passageiros neste primeiro trimestre de 2024, o que representa um aumento de 30% comparado ao mesmo período do ano anterior. Demanda existe, mas outros fatores atrasam a retomada.

NE e voos na alta temporada

A novidade para esta alta temporada no hemisfério norte é o reinício, a partir de junho, dos voos da Azul para a Flórida que estavam suspensos desde março deste ano. A capital pernambucana voltará a ter, no mesmo mês, a volta do voo direto para Madri pela Air Europa.

- Publicidade -

Já Fortaleza acena com o retono de sua ligação com a África, com voos para dois destinos de Cabo Verde (Ilha do Sal e Praia) através da Cabo Verde Airlines. Recife ainda negocia a retomada desta rota, que operou até março de 2020, incluindo também um voo direto saindo de Salvador.

A previsão é de que o avião da Cabo Verde Airlines volte a decolar de Fortaleza a partir de junho. Seriam, a princípio, dois voos semanais para o país africano, um para Ilha do Sal e outro para Praia, a capital. Mas apesar de slots (vagas que permitem ao seu titular marcar um pouso ou uma decolagem em um intervalo de tempo pré-determinado) estarem reservados nos aeroportos, nem a companhia áerea e nem o governo cearense anunciaram oficialmente esta retomada.

O que está garantido é, no caso do Recife, a volta das frequências para os Estados Unidos através da Azul. Os voos entre a capital pernambucana e Orlando e Fort Lauderdale, na Flórida, serão retomados a partir do dia 5 de junho. Serão duas frequências semanais, a princípio, passando para as cinco habituais a partir de julho.

Voos internacionais do Nordeste
Arte: ME

Interrompida em 2019, a rota Recife-Madri voltará a ser operada pela Air Europa a partir de 21 de junho. Serão duas frequências semanais aumentando a conexão com a Europa através da capital pernambucana, que é mais antiga rota nordestina da TAP Air Portugal, com o voo Recife-Lisboa tendo início em 19 de abril de 1967. Já a ligação com Frankfurt, na Alemanha, operada pela germânica Condor, não dá sinais de ressurreição.

Em relação a Portugal, o governo de Pernambuco anunciou negociações com a Azul para um voo direto para a cidade do Porto. O aeroporto internacional dos Guararapes-Gilberto Freyre também entra na disputa com Salvador para voltar a ter um voo para a cidade do Panamá, através da Copa Airlines. A companhia aérea que tem voos para muitas cidades do Caribe e América do Norte quer retomar sua ligação com o Nordeste que foi paralisada pela pandemia de Covid-19.

Outras capitais do Nordeste têm rotas internacionais diretas para Lisboa através da TAP, que anunciou o aumento da oferta de voos saindo da região para Lisboa, chegando a 35 partidas no período do verão europeu, entre junho e agosto.

Nestes três meses haverá mais três conexões semanais para o Recife e mais duas para Fortaleza. Com isso, a capital pernambucana passará de 10 para 13 voos por semana e a capital cearense, de 6 para 9. As outras capitais nordestinas com voos diretos semanais para Lisboa via TAP são Salvador (7), Natal (3) e Maceió (3).

Chilenos em Salvador

Salvador poderá comemorar em julho um voo direto para Santiago do Chile, através da SKY Airline. A companhia aérea de custo baixo (low cost) que opera em 22 países acredita no sucesso desta conexão, já que os chilenos voltaram a ocupar a terceira posição entre as nações que mais mandaram visitantes para os destinos brasileiros..

Além da dificuldade de encontrar slots nos aeroportos mais movimentados do mundo, o que afetou a ligação do Nordeste com outros países é a falta de aeronaves disponíveis. Tanto a Boeing quanto a Airbus enfrentam problemas de produção e as companhias aéreas adiaram seus planos de expansão ou retomadas de rotas.

A suspensão temporária dos voos da Azul do Recife para os Estados Unidos se deu exatamente por este problema. Na falta de aviões, encolhe-se a rota que não é prioritária. Mas os tempos estão mudando. Quem viver, voará.

Leia mais: Embratur e Consórcio Nordeste acertam parceria para atrair mais turistas internacionais

- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Notícias

- Publicidade -