terça-feira, 16/04/2024

O resíduo do plástico que vai virar mobiliário

Cada brasileiro produz, em média, 1 kg de lixo plástico por semana
Projeto vai desenvolver protótipos de mobiliário – como os acima – a partir da reciclagem dos plásticos usados com a finalidade de diminuir este tipo de resíduo principalmente nos canais, rios e riachos. Foto: Divulgação/Casa Criatura

Os resíduos das mais diversas embalagens plásticas são um problema ao meio ambiente. Pensando no reaproveitamento deste material, a Casa Criatura em co-criação com a Ao Vento, elaboraram um projeto que pretende reutilizar os plásticos usados transformando os mesmos em móveis e objetos. O objetivo é diminuir a quantidade de plástico dentro dos canais, rios e riachos. No Grande Recife,  muitas vezes,  o plástico que se encontra nestes lugares vai para o mar, poluindo o oceano. 

“O plástico vai ficar no meio ambiente por 400 anos. O nosso trabalho é dar um novo uso a este material”, resume o idealizador da Casa Criatura, Isac Filho. O plástico é recolhido pela Cooperativa de Catadores de Materiais Recicláveis (Cooncecipe), uma cooperativa de recicladores, em Olinda, que dá a destinação correta a cada tipo de resíduo.

- Publicidade -

“Agora, vamos desenvolver os protótipos. A nossa intenção é reutilizar o plástico para fazer bancos, cadeiras, lixeiras, entre outros”, explica Isac. O projeto venceu o desafio “Saneamento do Futuro: Rio Sem Plástico”, na categoria Social, proposto na chamada pública realizada pela Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA) e da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI).

A proposta vencedora tem a finalidade de desenvolver os protótipos de forma compartilhada, ensinando o modo de fazer para que outras pessoas consigam fazer os mesmos produtos a partir dos resíduos que foram utilizados na prototipagem. “Quanto mais gente com esse propósito, maior será a luta contra a poluição”, comenta Isac. 

Os idealizadores do projeto já estão com uma imersão sobre o assunto marcada na Escola Estadual de Olinda no próximo dia 19. “Os alunos vão conhecer  a Casa Criatura, o laboratório, a cooperativa. Vamos discutir como a comunidade escolar consegue se engajar nisso. Eles é que vão dizer a melhor forma de atuar”, diz Isac.

- Publicidade -

Uma das ideias da proposta é fazer com que os próprios alunos desenvolvam o mobiliário para as escolas litorâneas, fazendo cadeiras, parquinhos e barrinhas (de futebol) com o plástico reciclado. Com sede em Olinda, a Casa Criatura é especializada em design e makerspaces.

Isac diz que a ideia é o projeto crescer e ganhar vida com mais pessoas, incluindo estudantes,  fazendo os objetos, reutilizando o plástico e diminuindo a quantidade deste material no meio ambiente. “Enfrentamos um problema global que se chama resíduo. Produzimos mais de 400 milhões de resíduos plásticos por ano. No âmbito local, percebemos que estamos diante de desafios críticos no saneamento básico e na gestão dessas sobras. Em Pernambuco, apenas 30,8% da população tem acesso ao esgoto e 81,7% à água tratada. O descarte inadequado de resíduos na Região Metropolitana do Recife compromete a saúde, desencadeando doenças como a dengue. Isso também contribui para inundações e poluição de recursos hídricos, agravando o impacto ambiental”, conclui Isac.

Também idealizadora da Casa Criatura, Juliana Rabello, afirma que “esse projeto também tem impacto cultural, ao incentivar novos hábitos e potencial de replicação, e impacto econômico relevante como oportunidade de mercado e modelo para indústrias locais ao aproveitar matéria-prima plástica abundante”.

A intenção dos idealizadores é agregar instituições as mais diversas, como prefeituras, secretarias e agências de fomento, ou até a iniciativa privada para que o projeto se torne mais sustentável e mais pessoas façam essa reutilizção do plástico. Co-criadora do projeto, a Ao Vento é responsável pela captação de recursos, sistematização e documentação das atividades que serão executadas. 

Ainda no projeto, os idealizadores contam também com a Global Innovation Gathering (GIG), uma comunidade internacional que reúne makerspaces, centros de inovação, hackerspaces e centros comunitários para a transformação positiva dos lugares por meio de iniciativas tecnológicas e de código aberto. 

Grande consumo do plástico

O Brasil é o quarto maior produtor de plástico do mundo, segundo a Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA). Cada brasileiro produz cerca de 1kg de lixo plástico por semana. Das 11,3 milhões de toneladas de lixo plástico produzidas, somente 145 mil toneladas são recicladas, ou seja, 1,3% do lixo plástico gerado no Brasil é reciclado. Cerca de 2,4 milhões de toneladas de plástico são descartadas de forma irregular. E mais: 7,7 milhões de toneladas ficam em aterros sanitários. Ou seja, são enterradas e vão passar quatro séculos para se decompor.

E o mais alarmante: cerca de 1 milhão de toneladas de plásticos, anualmente, não é recolhida no Brasil.

Leia também

Saiba qual é o impacto do ESG no mercado de investimentos

Empresas apoiam agentes de reciclagem no Carnaval de Recife e Olinda

- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Notícias

- Publicidade -