terça-feira, 16/04/2024

E-Log investe R$ 150 mi em condomínio logístico em Jaboatão dos Guararapes

A E-Log vai continuar investindo em condomínios logísticos e adquiriu mais uma área próxima a Suape para futura expansão.
A primeira etapa do condomínio logístico da E-Log será entregue até março deste ano. Foto: Divulgação/ Isabelle Chaves

A empresa pernambucana E-Log está construindo um condomínio logístico que vai passar a operar até março deste ano em Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife. O empreendimento representa a expansão da atuação da empresa em Pernambuco e demandou um investimento estimado em R$ 150 milhões.

O investimento feito pela empresa no E-Log Condomínio Logístico incluiu a aquisição do terreno, implantação dos galpões, equipamentos de monitoramento de ponta. “Usamos equipamentos e materiais de ponta, porque o nosso objetivo é nos diferenciarmos. Já temos uma localização estratégica”, resume o diretor administrativo e de tecnologia da empresa, Mário Gomes.

- Publicidade -

O condomínio logístico está a 28 quilômetros de Suape, 15 km do Aeroporto do Recife e a 16,5 km do Pátio de Triagem que a empresa explora como uma concessão, por 30 anos, no Porto de Suape. Para entrar no porto, os caminhões tem que passar por um dos três pátios de triagem. A empresa inaugurou o Pátio de Triagem em agosto de 2020.

Atualmente, o Pátio de Triagem recebe, em média, 750 caminhões por dia. “Percebemos que há uma sinergia, porque alguns clientes do pátio poderão ser clientes do condomínio”, comenta Mário. O espaço oferece vários serviços aos motoristas de caminhões, como barbearia, oficina, restaurante, lava jato, entre outros. O Pátio de Triagem está recebendo um investimento de R$ 2 milhões na expansão da sua infraestrutura.

“Investimos num condomínio logístico porque os consumidores estão cada vez mais exigentes. Hoje, as pessoas compram uma coisa e querem receber no mesmo dia. Empresas que querem melhorar a eficiência logística vão procurar este tipo de serviço”, afirma Mário. Ele também argumenta que, algumas grandes companhias, preferem contratar uma central de logística do que ter que construir toda essa infraestrutura do zero.

- Publicidade -

O condomínio logistico da E-Log terá 90 mil metros quadrados. E, está em fase final de negociação, com uma empresa que pretende ocupar cerca de 80% da primeira etapa do condomínio que deve ficar pronto até março. O condomínio será inaugurado com galpões divididos em 14 módulos, projetados para serem flexíveis em tamanho, permitindo, assim, uma adaptação personalizada às necessidades de cada empresa que se estabeleça no local. As instalações serão equipadas para suportar operações de armazenagem, manuseio e distribuição.

Diretor administrativo e de tecnologia da E-Log, Mário Gomes, diz que a empresa pretende investir em outros condomínios logísticos. Foto: Divulgação/E-Log

A construção da segunda etapa do condomínio será concluída entre maio e junho deste ano. “Também estamos em negociação com outros clientes para esta segunda fase”, conta Mário, acrescentando que o grupo almeja investir em novos empreendimentos logísticos no Brasil.

Depois do anúncio de um segundo terminal de contêiner pela APM Terminals, da Maersk, no Porto de Suape, o grupo realizou uma aquisição estratégica de uma área de 160 mil metros quadrados próxima ao atracadouro. Segundo informações da empresa, este investimento não só promoverá a expansão do Pátio, mas também ampliará sua capacidade de manejar cargas diversas no local.

Em outro movimento “estratégico”, a empresa possui uma área significativa nas margens da BR-101, cidade de Caaporã (PB), situada na divisa entre Pernambuco e Paraíba, que poderá ser usada para um novo e moderno condomínio logístico. Aquela região está recebeu grandes investimentos de empresas privadas.

Atuação da E-Log

A empresa E-Log faz parte do grupo Federal Energia que existe há 23 anos e atua, entre outras coisas, como distribuidora de combustíveis, como diesel, etanol, gasolina, energia elétrica e gás natural veicular. Os sócios acionistas são os empresários pernambucanos e irmãos: Ana Paula Dias Gomes, José Roberto e José Romero.

A Federal Energia tem filiais em 12 Estados no Nordeste, Sudeste, Centro-Oeste. Em média, a empresa vendeu mais de 100 milhões de litros de combustíveis, respectivamente, nos meses de novembro e dezembro últimos. “Até 2022, a nossa média mensal era uma venda de 60 milhões de litros por mês”, cita Mário. A estimativa é de que o grupo tenha apresentado um faturamento superior a R$ 4 bilhões em 2023 com a distribuição de combustíveis, loteamentos, o Pátio de Triagem em Suape e a importação de coque de petróleo.

Leia também

APM divulga primeiras imagens do seu novo terminal em Suape

Exportações de algodão crescem 156% no Tecon Salvador

- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Notícias

- Publicidade -