BRK planeja investir mais de R$ 2,1 bilhões no saneamento do Grande Recife

O investimento de mais de R$ 2,1 bilhões em saneamento deve ocorrer até 2028

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no email
As obras da BRK previstas para os próximos quatro anos vão fazer com que o serviço de saneamento esteja disponível a 55% da população em 2028. Hoje, este percentual é de 42%. Foto: Divulgação/BRK

Dona de uma concessão para explorar o serviço de saneamento no Grande Recife, a empresa BRK Ambiental planeja investir mais de R$ 2,1 bilhões para realizar obras nos 14 municípios da Região Metropolitana do Recife (RMR) e Goiana entre 2024 e 2028. Estas obras seriam mais um passo no sentido de universalizar o serviço, o que deve ocorrer em 2037, para que 90% da população desta área tenha acesso ao serviço.

Com a conclusão desta etapa das obras, os 14 municípios da RMR mais Goiana passarão a ter uma cobertura de saneamento que vai chegar a 55% da população em 2028. Atualmente, esta cobertura é de 42% nos 15 municípios. A concessão do serviço de esgoto foi iniciada em 2013.

Do total a ser empregado nas obras até 2028, R$ 1,6 bilhão sairá de um benefício obtido via Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene). “O restante vai sair de outras fontes ou recursos próprios”, conta o diretor presidente da BRK da RMR, Sérgio Trentini.

Ele afirma também que as obras a serem realizadas com estes recursos vão abranger quase todos os municípios envolvidos na concessão. “O cronograma está sendo discutido com o governo de Pernambuco e a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), que vão dar uma divulgação ampla, quando isso for definido”, diz Trentini.

Em 2024, a empresa planeja investir cerca de R$ 400 milhões em obras. “Em 2025 e 2026, serão empregados cerca de R$ 500 milhões por ano, quando vai ocorrer o pico das obras. Com isso, serão gerados cerca de 4 mil empregos diretos e indiretos”, comenta Trentini. A construção da rede de saneamento e tratamento do esgoto é intensiva no uso de mão de obra. “Também investimos no tratamento de excelência para cumprir a legislação federal e estadual”, explica.

Diretor presidente da BRK da RMR, Sérgio Trentini, diz que o pico desta nova etapa das obras ocorrerá em 2025 e 2026. Foto: Divulgação/BRK.

Até 2037, devem ser investidos um total de cerca de R$ 5 bilhões para chegar na cobertura de saneamento de 90% nesta área. “Há um volume grande de obras a ser feito”, conta Trentini. A concessionária já investiu cerca de R$ 2 bilhões em obras de saneamento e o total investido é cerca de R$ 2,6 bilhoes porque inclui recursos que foram bancados pela Compesa, que é parceira da Parceria Público-Privada que estabeleceu a concessão.

Nesta quarta-feira (29), o superintendente da Sudene, Danilo Cabral, fez uma visita à estação de tratamento de efluentes Prazeres, que beneficia 90 mil pessoas no município de Jaboatão dos Guararapes e entorno. Danilo afirmou que a autarquia tem compromisso com iniciativas que dialoguem com a agenda da sustentabilidade. “Essa é uma ação prevista em nosso plano regional. É uma responsabilidade nossa fazer com que o Nordeste avance no acesso ao tratamento de esgoto. Temos parcerias não apenas em Pernambuco, mas na Bahia e Alagoas. Nós queremos atuar em todo o Nordeste para garantir cidadania a todos”, comentou o gestor.

A PPP do saneamento também conta com a participação de outro instrumento da Sudene. A primeira fase de implantação do projeto, iniciada em 2014, contou com R$ 415,5 milhões financiados com recursos do Fundo de Desenvolvimento do Nordeste (FDNE).

Leia também

Infraestrutura deve ficar com maior parte dos recursos do FNE alocados para Pernambuco

Transição energética: Compesa planeja gerar até 300 MW em barragens

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Mais Notícias