Propostas da licitação da ferrovia Salgueiro-Suape vão ser abertas na segunda-feira (20)

O trecho pernambucano da Ferrovia Transnordestina é fundamental para melhorar a logística da região
Transnordestina- ferrovia Salgueiro-Suape
Existem cerca de 180 km de ferrovia que foram implantados no trecho Salgueiro-Suape. Foto: Movimento Econômico

A abertura da licitação das propostas das empresas interessadas em fazer os projetos básicos e executivos do trecho pernambucano da Ferrovia Transnordestina – que liga Salgueiro ao Porto de Suape – vai ocorrer na próxima segunda-feira (20) às 10h. As empresas interessadas em participar da concorrência poderão se inscrever até um pouco antes da concorrência ser iniciada pela plataforma do Banco do Brasil (licitações-e). As obras do trecho pernambucano foram iniciadas em 2006 e estão paralisadas desde 2016.

A sessão da licitação é publica. A concorrência está sendo feita pela empresa Infra S.A, que pertence ao governo federal. Depois da abertura das propostas, serão avaliadas as condições de participação, a proposta de preços e a documentação de habilitação da licitante com o menor valor registrado, segundo informações da Infra.

- Publicidade -

A licitação só é concluída com a homologação. Para isso ocorrer, todos os prazos estabelecidos na concorrência devem ser cumpridos, incluindo a fase de recursos que pode contribuir para alongar o prazo de finalização da concorrência. Segundo informações da Infra, pode haver a necessidade de diligências e análises técnicas que demandam tempo e, por isso, não há data prevista para a realização da homologação nessa etapa do procedimento. Mais informações sobre a licitação estão disponíveis no link: https://www.infrasa.gov.br/licitacoes/rle-edital-no-007-2024/.

O nó do trecho pernambucano da ferrovia

O trecho pernambucano da Transnordestina tem 548 quilômetros, ligando Salgueiro a Suape. há uma previsão de que o empreendimento receba R$ 500 milhões que aparecem no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC3) do atual governo Lula (PT). Este trecho tem cerca de 180 kms que foram construídos. A estimativa é de que sejam necessários cerca de R$ 5 bilhões para concluir o trecho Salgueiro Suape da Transnordestina.

A obra é fundamental para o desenvolvimento da infraestrutura de Pernambuco e Estados próximos, como a Paraíba e Alagoas, além de contribuir para o crescimento de setores da economia, como a avicultura instalada no Agreste pernambucano, o polo gesseiro do Araripe e viabilizar a exploração das jazidas de minério de ferro existentes no Sul do Piauí, entre outros.

- Publicidade -

Não se sabe como a obra será retomada, se haverá um empreendedor privado ou algum tipo de concessão. Isso ocorre 18 anos depois que as obras começaram. Originalmente, a Ferrovia Transnordestina começava no Sul do Piauí, seguia até a cidade de Salgueiro e a partir dela se originavam dois ramais: um seguindo para Pecém, na Grande Fortaleza, e o outro viria para Suape, na Região Metropolitana do Recife.

A empresa que estava à frente da construção da obra, a TLSA, – uma subsidiária da Companhia Siderúrgica Nacional – entregou o trecho pernambucano ao governo federal em dezembro de 2022 e as obras do trecho cearense continuam avançando financiadas por dinheiro público, incluindo fundos administrados pela Sudene.

Leia também

Pedro Campos diz que é preciso “estruturar” o trecho pernambucano da Transnordestina

Ferrovia Transnordestina: pesadelo para uns, alívio para outros

- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Notícias

- Publicidade -