Unigel suspende demissão de 384 empregados

A Unigel havia comunicado aviso prévio a todos os funcionários da operação em Camaçari e, após negociações com a Petrobras e governo da Bahia, voltou atrás, mas aumentou a pressão sobre a petroleira para baixar preço do gás natural

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no email
Unigel Agro, a antiga Fafen, foi arrendada pelo grupo paulista à Petrobras em 2020
Unigel Agro é a antiga Fafen, fechada pela Petrobras em 2018 e arrendada pelo grupo paulista em 2020/Foto: Unigel (Divulgação)

Em mais um capítulo da queda de braço entre a gigante petroquímica Unigel e a Petrobras, o grupo industrial anunciou, nesta quarta-feira (14), a suspensão da demissão dos 384 empregados de sua fábrica de fertilizantes nitrogenados em Camaçari, na Bahia. A Unigel Agro, operada pela divisão Proquigel, é a antiga Fafen, fechada pela petroleira em 2018 e arrendada pela multinacional brasileira em 2020.

A Unigel comunicou o aviso-prévio a todos os funcionários da planta no início deste mês e sinalizou para o fechamento da unidade, como estratégia para pressionar a petroleira a reduzir o preço do gás natural, um dos seus principais insumos. Mas decidiu voltar atrás depois de negociações com a Petrobras e o Governo da Bahia.

Por meio de nota, o grupo informou que “a Unigel – uma das maiores empresas químicas da América Latina e maior fabricante de fertilizantes nitrogenados do país – anuncia que reverterá o instrumento de aviso prévio dos colaboradores da sua unidade de produção de fertilizantes no Polo Petroquímico de Camaçari”.

“A empresa continua em negociação para viabilizar a operação da Unigel Agro Bahia e segue confiante que chegará em uma boa solução para as partes”, complementa o posicionamento..

No documento, o CEO Roberto Noronha Santos afirma que a dispensa dos empregados na unidade, agora revertida, “se fez necessária devido aos desafios macroeconômicos de mercado”.

“Estamos atravessando a pior crise que o setor petroquímico já viveu em anos, paralelo a isso, as condições de competitividade com o mercado internacional tornam tudo ainda mais complexo, mesmo assim nunca desistimos e seguimos firmes no propósito de continuar produzindo fertilizantes nitrogenados, matéria-prima tão necessária ao país”, detalha o executivo.

Ele garante ainda que “os trabalhadores serão mantidos e retomaremos a produção em Camaçari assim que possível”. 

Noronha defende, na nota, que essa retomada é uma prioridade nacional. “Convivemos com uma ampla dependência de fertilizantes nitrogenados vindo de outros países. Hoje 85% da demanda é atendida por importação. Consequentemente, ter uma produção no Brasil é essencial para garantir a redução da vulnerabilidade do país e a segurança dos nossos clientes”, argumenta. 

Ainda segundo o documento, a Unigel “continua em tratativa com a Petrobras voltada para os projetos da companhia focados em energia renovável e fertilizantes, conforme comunicado veiculado em junho deste ano”.

Entenda a crise na Unigel

Impactado pelo cenário desafiador no mercado global de fertilizantes, o grupo Unigel acumula um passivo a reestruturar de R$ 3,1 bilhões, na conversão para moeda nacional. Para sobreviver a essa crise, a companhia quer vender ativos, renegociar as dívida e reduzir o custo do principal combustível usado em seus processos fabris na Unigel Agro, o gás natural.

O sindicato local dos petroquímicos reforça os argumentos da empresa sobre a necessidade de revisão da tarifa do insumo. Segundo a entidade, a planta está operando de forma deficitária desde o fim de 2022, “especialmente em razão do alto custo do gás natural fornecido pela Petrobras, que torna o preço final dos fertilizantes impraticável face aos preços praticados no mercado internacional”.

Já o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Angelo Almeida, que tem participado diretamente das articulações para evitar o fechamento da fábrica, ressalta a importância do negócio para o país e a Bahia.

“A retomada das atividades da Unigel na Bahia é crucial para a economia local e nacional. A empresa, referência na produção de fertilizantes, gera empregos diretos e indiretos, promove o desenvolvimento regional e impulsiona a agricultura”, ressalta.

Em plena operação, a Unigel Agro tem capacidade para processar, por ano, 475 mil toneladas de amônia e 475 mil toneladas de diversos tipos de ureia. 

Sinais trocados na Unigel

A Unigel tem se posicionado de forma contraditória sobre o futuro de seus negócios na Bahia. Ao mesmo tempo em que ameaça desativar a unidade local de nitrogenados, também mostra apetite e capacidade financeira para investir numa fábrica de hidrogênio verde (H2V), cuja produção será voltada para amônia verde destinada justamente à produção de fertilizantes em Camaçari.

O grupo, aliás, tem destacado que sua operação local de fertilizantes dispõe de capacidade para absorver 100% de toda a amônia que vier a ser processada por seu novo braço de negócio, a Ecohydrogen Energy, criada em setembro passado.

A unidade da nova divisão, orçada em US$ 1,5 bilhão, já recebeu até os eletrolisadores, equipamentos mais caros na fabricação de hidrogênio verde e que foram desenvolvidos pela alemã ThyssenKrupp. Apenas nessa fase do projeto, o investimento chega a US$ 120 milhões. A planta de H2V tem previsão de ser inagurada já em 2024, com possibilidade de ser a primeira do gênero no Brasil.

Unigel já recebeu até os eletrolisadores para fábrica de H2V na Bahia
Unigel, que tem emitido sinais contraditórios sobre futuro dos negócios na Bahia, está investindo US$ 1,5 bilhão numa planta de H2V que pode ser a primeira a entrar em operação no Brasil/Foto: Unigel (Divulgação)

O que diz a Petrobras sobre a Unigel?

No início de novembro, o CEO da Petrobras, Jean Paul Prates, disse que teria “novidades sobre a área de fertilizantes no próximo plano estratégico da companhia 2024-2028”. O programa tem previsão de ser anunciado ainda neste mês. O presidente, no entanto, fez declarações genéricas, sem entrar em detalhes sobre a situação da Unigel Agro, que não foi citada em nenhum momento por ele. “Vamos fazer uma reconfiguração de tudo de fertilizantes”, desconversou.

Quem é a Unigel?

A Unigel foi fundada em São Paulo, em 1966, pelos engenheiros químicos Henri Slezynger e Edgardo Menghini. Ao longo de cinco décadas, se tornou um conglomerado de empresas nas áreas petroquímica e de plásticos, com unidades de produção no Brasil (Bahia, Sergipe e São Paulo) e no México (nos estados do México, San Luís Potosí e Veracruz). Os insumos são destinados aos setores de eletrodomésticos e eletrônicos, automotivo, tintas e revestimentos, construção civil, papel e celulose, embalagens, saúde e beleza, têxtil, mineração e agricultura.

O grupo tem posição de liderança em estirênicos, acrílicos e fertilizantes nitrogenados. É um dos maiores players do setor químico da América Latina e maior fabricante de fertilizantes nitrogenados do mercado nacional.

Leia mais sobre a Unigel:

Hidrogênio verde: Unigel acelera viabilização da 1ª planta na Bahia

Governador de SE assina protocolo para Unigel retomar produção de sulfato de amônio

A primeira fábrica de hidrogênio verde do Brasil começa a ser construída na Bahia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Mais Notícias