quinta-feira, 18/04/2024

Grupo EQM e ZEG vão produzir biometano em 2 estados no NE

A produção se dará nas usinas do Grupo EQM em dois estados.
EQM
Eduardo Monteiro, presidente do Grupo EQM/ Foto: Paullo Almeida/Folha PE

Mais um negócio em torno da economia verde está prestes a se concretizar em dois estados do Nordeste. O Grupo EQM e a ZEG Biogás, o braço empresarial de biogás e biometano da Vibra Energia (antiga BR Distribuidora) se unem para produzir biometano de alta pureza em Alagoas e Pernambuco. O Memorando de Entendimento (MOU) já está assinado e nos próximos dias o contrato será celebrado entre as partes.

As duas novas unidades produtoras de biometano ficarão localizadas nas propriedades do Grupo EQM: Usina Utinga, em Alagoas, e na Usina Cucau, em Pernambuco – onde o projeto é pioneiro. Os investimentos são superiores a R$ 90 milhões. A capacidade somada de produção, apenas nesta primeira fase de implantação, é superior a 5,6 milhões de metros cúbicos de biometano anualmente.

- Publicidade -

Enquanto o Grupo EQM disponibilizará áreas para as instalações físicas das unidades e será o fornecedor toda matéria-prima necessária para a produção do biogás, a ZEG será responsável por toda a solução tecnológica para geração do biogás e pela purificação do biocombustível padrão ANP.

A ZEG também será responsável por comercializar com exclusividade todo o biometano produzido nas duas unidades aos seus clientes, sejam eles industriais ou frotistas, que busquem substituir o óleo diesel em seus veículos. A integralização do investimento será feita no curso da implantação com participação igualitária.

Sustentabilidade

Com as novas operações, o grupo pernambucano, liderado pelo empresário Eduardo de Queiroz Monteiro avança em sua política de sustentabilidade, na medida em que utilizará o combustível verde, o que reduzirá significativamente suas emissões de gases do efeito estufa por sua frota, gerando valor em sua cadeia de produção.

- Publicidade -

“Vamos usar o biometano produzido para reduzir significativamente as emissões de gases do efeito estufa no nosso negócio, tornando assim as nossas atividades ainda mais sustentáveis e alinhadas a agenda ESG global, gerando valor para toda a cadeia de produção”, disse Eduardo Monteiro.

Segundo ele, o MOU objetivou viabilizar a realização dos estudos finais, elaboração do projeto executivo e obtenção de licenças de instalação para cada uma das unidades de produção a serem construídas.

Usina Cucau
A Usina Cucau será a primeira unidade em Pernambuco a produzir biometano/Foto Arthur de Souza Folha PE

Expansão pelo Nordeste

“Este é mais um importante passo para a ZEG Biogás, pois permite a expansão da produção do biometano em mais dois estados do Nordeste”, comenta Eduardo Acquaviva, CEO da ZEG Biogás. “Em pouco menos de seis meses pudemos idealizar e colocar em prática a criação de um “hub” local de geração deste biocombustível, e já no próximo semestre daremos início às obras”, completa.

De acordo com Acquaviva, a tecnologia a ser aplicada neste projeto é modular, e permitirá futuras expansões, conforme consolidação do mercado de biometano no Brasil. Os equipamentos utilizados são desenvolvidos pela ZEG Biogás e as respectivas parcerias estratégicas para tropicalização de equipamentos no Brasil, possibilitando rápida instalação e operação de unidades mesmo em locais onde a empresa não tenha atuação direta.

 O que é biometano?

Biometano é um produto derivado da purificação do biogás. Este, por sua vez, é o gás retirado do processo de decomposição anaeróbica (na ausência de oxigênio) de resíduos orgânicos como  lixo, esgoto urbano, agricultura, pecuária, suinocultura e gado leiteiro. No caso das usinas virá da cana-de-açúcar.

O biogás tem em sua composição a presença principal do metano (CH4) e dióxido de carbono (CO2), variando entre 50% a 70% do total, e, em menores quantidades, aparecem o gás sulfídrico (H2S), a umidade (H2O) e outros gases, como o nitrogênio (N2).

É por via de um processo de upgrading do biogás, com a purificação e separação do metano e do dióxido de carbono que é produzido o biometano.  O metano é um substituto direto do gás natural, e além de poder ser usado como um combustível para transporte (GNV), ainda tem aplicabilidade na indústria, residências e na produção de fertilizantes nitrogenados.

Grupo EQM

O Grupo EQM está inserido no setor sucroenergético, com larga tradição através de suas unidades a Usina Utinga, em Alagoas, e a Usina Cucau, em Pernambuco, focados na produção de açúcar, de etanol e de energia elétrica, além de diversos subprodutos da cana-de-açúcar, inclusive a vinhaça que será utilizada como matéria prima primordial para a produção de biometano, mantendo-se posteriormente suas características como fertilizante de excelente qualidade, dentro de seu programa de avançar na sustentabilidade.

A ZEG Biogás, por sua vez, oferece soluções inovadoras e exclusivas para geração de biogás e a purificação do biometano para indústrias, agronegócios, frotas e municípios, que desejam reduzir os impactos negativos causados pelo uso de combustíveis fósseis, sem perder a competitividade. Seu plano estratégico prevê R$2 bilhões em investimentos num período de até cinco anos para produção e distribuição do biometano a seus clientes.

A ZEG Biogás é uma empresa que integra a plataforma de soluções de descarbonização da Vibra Energia e é listada n B3 (VBR3). A empresa detém 50% de seu capital social, junto com as empresas FSL (25%) e Capital Energia (25%).

Leia também:

Joint venture entre Grupo EQM e o Movimento Econômico fortalece jornalismo regional

Etanol de cereais: primeira usina do Nordeste projeta dobrar produção

- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Notícias

- Publicidade -