Alckmin aplica reforço de vacina bivalente contra Covid-19 em Lula

Um detalhe também chamou a atenção: a presença do mascote Zé Gotinha, que foi afastado durante o governo anterior Ao contrário da postura negacionista do ex-presidente Bolsonaro, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e seu vice, Geraldo Alckmin, deram um exemplo para os brasileiros, nesta segunda-feira (27/02), na cidade de Guará, no Distrito Federal. […]

Um detalhe também chamou a atenção: a presença do mascote Zé Gotinha, que foi afastado durante o governo anterior

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a ministra da Saúde, Nísia Trindade, lançam o Movimento Nacional pela Vacinação. Na ocasião o presidente foi vacinado pelo vice-presidente, Geraldo Alckmin Foto: Fábio Rodrigues/Agência Brasil


Ao contrário da postura negacionista do ex-presidente Bolsonaro, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e seu vice, Geraldo Alckmin, deram um exemplo para os brasileiros, nesta segunda-feira (27/02), na cidade de Guará, no Distrito Federal. Foi o próprio Alckmin, que é médico, quem aplicou a quinta dose de vacina no braço de Lula durante evento para lançar a campanha nacional de vacinação. Um detalhe também chamou a atenção: a presença do mascote Zé Gotinha, que foi afastado durante o governo anterior.

Além de simbólica, Lula discursou fazendo um apelo à população que não deixe de tomar vacina. “Daqui para frente, a hora que vocês lerem um aviso, virem na televisão um aviso, uma propaganda no rádio ou na internet que está dando vacina no bairro de vocês, na vila de vocês, na cidade de vocês, pelo o amor de Deus, não sejam irresponsáveis. Se tiver vacina, vá lá tomar a vacina, porque a vacina é a única garantia que você tem de não morrer por falta de responsabilidade. A vacina é uma garantia de vida”, disse Lula.

Lula ainda cobrou que os pais levem seus filhos para tomarem a vacina contra poliomielite também. “Não posso compreender uma mãe que se recusa a levar um filho para tomar vacina contra uma possível paralisia infantil. Ou seja, na hora de não dar a vacina pode parecer bonito. Mas a hora em que a criança pega a paralisia, aí a gente vai sofrer para o resto da vida uma coisa que a gente poderia ter evitado”, prosseguiu Lula.

- Publicidade -

Nessa campanha, a mensagem “Vacina é Vida. Vacina é para todos” será veiculada durante a campanha de imunização contra a Covid-19 e outros imunizantes do Calendário Nacional de Vacinação em várias etapas. Também participaram do evento a ministra Nísia Trindade (Saúde) e a primeira-dama, Janja.

VACINA BIVALENTE

De acordo com o Ministério da Saúde, a vacina melhora a imunidade contra o vírus da cepa original e também contra a variante Ômicron e tem perfil de segurança e eficácia semelhante ao das vacinas monovalentes.

Inicialmente, a vacina será aplicada somente nos chamados grupos de risco. Conforme divisão anunciada pelo ministério, a imunização será feita da seguinte forma: na fase 1, pessoas acima de 70 anos, imunocomprometidos, indígenas, ribeirinhos e quilombolas; na fase 2, pessoas com idade entre 60 e 69 anos; na fase 3, gestantes e puérperas; na fase 4, profissionais de saúde.

Leia também:

Bolsa Família voltará a exigir frequência escolar e vacinação
Banco Mundial: covid-19 pode resultar em geração perdida de jovens
Controle da Covid-19 fortalece a retomada de patrocínios a grandes eventos culturais em 2023
Sem o governo do Estado, qual será o papel do PSB Pernambuco em 2024?

- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Notícias

- Publicidade -