No Piauí, pedra fundamental do projeto de H2V será lançada no dia 15

O projeto de H2V vai ser implantado em seis etapas ao longo de 10 anos

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no email
A planta de hidrogênio e amônia verdes do Piauí é um projeto grandioso que deve levar 10 anos para ser implantado. Foto: Governo do Piauí/Divulgação

A pedra fundamental da unidade de produção de hidrogênio (H2V) e amônias verdes que vai se instalar no Piauí será lançada no dia 15 deste mês. A data foi anunciada pelo governador do Piauí, Rafael Fonteles, durante a Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP 28) que ocorre em Dubai, nos Emirados Árabes até o dia 12 de dezembro. O projeto envolve grandes players do mercado de energia como a empresa Solatio e a Green Energy Park.

“É um investimento muito importante, o maior da história do nosso Estado. Vai superar R$ 100 bilhões em investimentos ao longo dos próximos 10 anos. Uma grande oportunidade de emprego e renda para o nosso povo”, disse o governador Rafael Fonteles.  

Os números deste projeto são grandiosos. Nos projetos apresentados pelas empresas, ele será implantado em pelo menos seis etapas na ZPE do Parnaíba. O objetivo do projeto é produzir 1,4 milhão de toneladas de H2V por ano e 7,5 milhões de toneladas de amônia anualmente. Os produtos serão destinados ao mercado externo e interno. A amônia pode ser usada na fabricação de fertilizantes. No Sul do Piauí e do Maranhão, há grandes áreas agrícolas cultivadas que precisam de fertilizantes.

Projeto inclui usinas solares fotovoltaicas

Recentemente, o Governo do Piauí concedeu licença ambiental prévia para a instalação do Parque de Produção de Hidrogênio Verde na ZPE de Parnaíba. O projeto de hidrogênio também tem ligação com parques de geração de energia solar fotovoltaica que o mesmo conglomerado está desenvolvendo no interior do Piauí. Os projetos de usinas fotovoltaicos devem ter 15 GWp.

Segundo o CEO da Solatio, Pedro Vaquer, esta iniciativa adicional destaca o compromisso da empresa em impulsionar não apenas a produção de hidrogênio verde, mas também a geração de energia solar em larga escala. O hidrogênio só é verde se for produzido a partir de energia limpa, como as usinas éolicas ou as solares fotovoltaicas.

Quando o empreendimento entrar em operação, tanto o H2V como a amônia verde serão escoados pelo Porto de Luís Correia, que tem a inauguração da primeira etapa prevista para ser concluída no próximo dia 13. 

Leia também

Os desafios para a produção do hidrogênio verde em Pernambuco

Raquel Lyra anuncia investimento de R$ 20 mi em planta experimental de H2V

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Mais Notícias

Recife

Doações de brinquedos na Ferreira Costa

No mês das crianças, o Home Center Ferreira Costa está recebendo brinquedos e livros infantis em bom estado para doação a Instituições parceiras.    A campanha pretende incentivar a brincadeira

Leia mais »