Pernambuco lança plano para descarbonização até 2050

Decreto foi assinado pelo governador de Pernambuco, Paulo Câmara. Estado pretende reduzir emissão de gases de efeito estufa

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no email

Pernambuco pretende neutralizar as emissões de carbono na atmosfera até o ano de 2050. O compromisso consta no Plano de Descarbonização lançado nesta quarta-feira (16), durante a abertura da I Conferência Internacional de Resíduos Sólidos – Cirsol, que acontece no Recife. O decreto assinado pelo governador Paulo Câmara (PSB) pretende reduzir a emissão de gases do efeito estufa e contribuir com o esforço para evitar o aumento do aquecimento global e suas consequências.

As medidas contidas no Plano de Descarbonização de Pernambuco devem ter impacto em praticamente todos os setores, entre os quais energia, indústria, transportes, resíduos, agricultura, florestas e uso do solo. O governo também criou o Comitê Estadual Pernambuco Carbono Neutro (Cepen) para apoiar e monitorar a implementação do plano.

“Pernambuco foi o primeiro estado a fazer o inventário dos gases de efeito estufa. Estamos com isso totalmente mapeado e agora temos a oportunidade de iniciar nosso Plano de Descarbonização, carbono neutro até 2050. A ideia é promover o desenvolvimento sustentável, para que possamos aliar as atividades econômicas com o desenvolvimento social, sempre garantindo o meio ambiente protegido”, afirmou Paulo Câmara.

Paulo Câmara
Governador Paulo Câmara/Fotos: Hélia Scheppa/SEI

O documento que oficializa o compromisso do estado com a sustentabilidade foi elaborado com ajuda da União Europeia. “Também tivemos apoio das universidades brasileiras e das nossas instituições, que traçam uma linha até 2050, como prevê o painel da ONU da emergência climática, de neutralizar as nossas emissões, modificando os processos produtivos da indústria, do setor de serviços e de setores governamentais, gerando qualidade, cuidando do meio ambiente e criando empregos verdes para a nossa população”, destacou José Bertotti, secretário estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco.

Cirsol prossegue até sexta

A I Conferência Internacional de Resíduos Sólidos segue até a sexta-feira (18) com uma programação que inclui debates, oficinas, workshops e feiras de negócios sobre inciativas ligadas ao meio ambiente e às mudanças climáticas que permeiam as agendas nacional e internacional.

A conferência pretende ampliar o debate sobre resíduos sólidos de forma multissetorial, com o objetivo de estimular ações que estejam em sintonia com os compromissos assumidos com a Agenda 2030 da ONU, um plano de ação global que reúne 17 objetivos de desenvolvimento sustentável (ODS) e 169 metas.

O governo federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Regional, também participa da conferência com dois painéis que tem como objetivo orientar municípios brasileiros sobre o cumprimento das metas estabelecidas pelo Marco Legal do Saneamento e manejo dos Resíduos Sólidos Urbanos (RSU).

Uma das atividades é sobre as ferramentas de gestão sustentável de resíduos sólidos que permitam que empresas privadas e instituições acadêmicas possam atuar de forma conjunta para o desenvolvimento do mercado de RSU, respeitando o meio ambiente, preservando os recursos e gerando empregos, como consequência das boas práticas sustentáveis.


Leia também – Petrobras já reinjetou em reservatórios 35 milhões de toneladas de CO2

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Mais Notícias