Comércio varejista em Pernambuco teve leve recuperação de 2,5%

Volume de vendas do comércio em Pernambuco ainda não chegou ao nível pré-pandemia

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no email

Depois de amargar sucessivas perdas por causa da crise sanitária, o comércio varejista de Pernambuco registrou elevação de 2,5% entre dezembro do ano passado e janeiro deste ano, segundo Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
O desempenho de Pernambuco na passagem de ano foi acima da média nacional, que ficou em 0,4%, terceiro melhor resultado do país. O estado ficou atrás apenas de Alagoas (2,8%) e Rio de Janeiro (3,0%). Foi o primeiro resultado positivo no estado desde agosto de 2021.

Em comparação com janeiro de 2021, retração foi de 7,6%. Crescimento nos últimos 12 meses foi de 0,5%

Segundo análise da Fecomércio-PE, apesar do resultado animador de janeiro, a trajetória da série sazonal do volume de vendas no varejo restrito pernambucano ainda não chegou ao nível pré-pandemia e ao verificado entre o 2º semestre de 2020 e 1º semestre de 2021, quando houve o pagamento do auxílio emergencial e o isolamento social mais rígido, fatores que favoreceram o consumo das famílias em alimentação, higiene, medicamentos e itens para o lar, como eletrodomésticos. Neste período, foram percebidos alguns resultados mensais positivos, embora a situação do mercado de trabalho se agravasse.

Na comparação com janeiro de 2021, o resultado do varejo restrito também não foi muito animador. O ano começou com retração de 7,6% com relação ao mesmo período do ano anterior. Com o resultado, Pernambuco acumula um crescimento tímido de 0,5% em volume de vendas nos últimos 12 meses encerrados em janeiro, comparado ao período anterior.

Mesmo sem números tão expressivos, esse tem sido um dos melhores resultados de vendas cumuladas em um ano, apesar de ainda atrás da média nacional (1,3%). Pernambuco também se consolida a frente da maioria dos estados do Nordeste, atrás apenas do Piauí (9,5%) e seguido por Alagoas, que teve variação de -0,5%.

Se considerado o comércio varejista ampliado, que inclui os segmentos de material de construção, veículos, motocicletas, partes e peças, houve aumento de 3,7% nas vendas no último mês de janeiro com relação a dezembro do ano passado. Nessa área, o destaque foi o setor automotivo.

Na comparação anual do comércio varejista ampliado, Pernambuco alcançou o segundo melhor resultado do país, com variação de 15,4% no volume de vendas no comparativo entre janeiro de 2021 e janeiro de 2022. O estado perdeu apenas para o Amazonas, que registrou alta de 34,7%. Com o resultado de janeiro, Pernambuco registra crescimento de 19,1% no acumulado de 12 meses.

Entre os segmentos do varejo ampliando que impulsionaram o resultado estão os de farmácias, artigos médicos, perfumaria e cosméticos, devido o aumento da procura por medicamentos e testes de Covid-19; livraria e papelaria e equipamentos e materiais para escritório, informática e computação, que foram influenciados pela volta às aulas presenciais, possível graças a vacinação de crianças e adolescentes. Também se destacaram as áreas de tecidos, vestuário e calçados e artigos de uso pessoal e doméstico.


Leia também – Inflação oficial chega a 1,01% em fevereiro, diz IBGE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Mais Notícias