ZPE Ceará fecha 2023 com alta de 12,2% na movimentação de cargas

A ZPE Ceará foi a primeira Zona de Processamento de Exportação a entrar em operação no Brasil.

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no email
Porto de Pecém
Porto de Pecém: ZEP colhe resultados /Foto: divulgação

No ano em que completou 10 anos de operação, a Zona de Processamento de Exportação (ZPE) do Ceará, que faz parte do Complexo do Pecém, voltou a registrar um avanço significativo na sua movimentação anual de cargas. Ao todo, quase 10 milhões de toneladas passaram pelos gates da free trade zone cearense ao longo de 2023, um avanço de 12,2% na comparação com 2022.

No total, 9.975.627 de toneladas foram movimentadas na ZPE Ceará de janeiro a dezembro do ano passado, cerca de 1 milhão de toneladas a mais do que no acumulado de 2022. Esse resultado representa mais de 55% de tudo o que foi movimentado, ao longo de 2023, pelo Porto do Pecém, terminal offshore que possui uma infraestrutura completamente integrada com a ZPE Ceará.

“O ano de 2023 foi muito especial para a ZPE Ceará, pois celebramos uma década de operação e mais um crescimento importante na nossa movimentação anual de cargas. Ao longo desses 10 anos, já foram mais de 83 milhões de toneladas movimentas, uma média de 8,3 milhões de toneladas por ano, o que consolida a ZPE como uma política pública fundamental para a balança comercial cearense”, destaca o presidente da ZPE Ceará, Eduardo Neves.

Cargas de destaque

Do total movimentado pela ZPE Ceará ao longo do ano passado, o maior destaque foi o minério de ferro, responsável por 4,59 milhões de toneladas, uma alta de 14,3% na comparação com o resultado de 2022. Já as placas de aço produzidas na ArcelorMittal Pecém, siderúrgica que fica instalada no Setor 1 da free trade zone cearense, foram responsáveis por uma movimentação de 2,94 milhões de toneladas, um avanço de 9,4% ante o acumulado do ano anterior.

“Para além dos números, esse crescimento nas movimentações da ZPE significa mais desenvolvimento econômico, social e tecnológico para o estado do Ceará. Por isso, seguiremos trabalhando diariamente para aprimorar ainda mais os nossos processos e contribuir, cada vez mais, com a geração de emprego e de renda para o povo cearense”, complementa o presidente Eduardo Neves.

ZPE Ceará

Primeira Zona de Processamento de Exportação a entrar em operação no Brasil, a ZPE Ceará conta com 6.182 hectares de área para investimentos e faz parte do Complexo do Pecém, uma joint venture formada pelo Governo do Estado do Ceará e pelo Porto de Roterdã, o maior e mais importante porto da Europa.

As empresas que se instalam em uma ZPE têm acesso a tratamento tributário, cambial e administrativo especiais, além de segurança jurídica e procedimentos burocráticos simplificados. Não à toa, é no Setor 2 da ZPE, uma área de mais de 1.900 hectares, que serão instaladas as grandes unidades fabris do Hub de Hidrogênio Verde, um projeto que visa revolucionar a economia cearense ao longo dos próximos anos.

Leia também:

Porto do Pecém bate recorde na movimentação de contêineres com alta de 16%

H2V: CE avança para 30 acordos em 2023

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Mais Notícias