Novo parque solar será inaugurado em Flores nesta terça (06)

É o segundo empreendimento da Kroma na área de geração de energia.

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no email
parque da Kroma
Toda energia a ser produzida pelo Complexo Fotovoltaico São Pedro e Paulo já foi comercializada. Foto: Kroma/Divulgação

As empresas pernambucanas Kroma Energia e a Elétron Energia inauguram, nesta terça-feira (06), o Complexo Solar São Pedro e Paulo, no município de Flores, a 341 km do Recife. A expectativa é de que o evento de inauguração conte com a presença da governadora Raquel Lyra (PSDB). Tanto a Kroma como a Elétron são comercializadoras de energia no mercado livre, embora tenham usinas de geração. A Kroma é comandada por Rodrigo Mello e a Elétron Energy por André Cavalcanti.

Até agosto do ano passado, a previsão era de um investimento em torno de R$ 320 milhões na unidade de Flores. Desse total, R$ 218 milhões foram financiados pelo Banco do Nordeste (BNB). ANo Complexo São Pedro e Paulo foram montados 153.816 painéis fotovoltaicos que captam a radiação solar. As obras começaram em novembro do ano passado. Quando começar a operar, o parque vai empregar 40 pessoas.

André Cavalcanti
André Cavalcanti, CEO da Eletrón Elergy/Foto: Sol Pulquério/ Divulgação

O parque terá a capacidade de gerar 101 megawatt-pico (MWp). Esta energia é suficiente para abastecer todas as casas do Sertão do Pajeú, segundo informações da Kroma Energia. Aquela região tem 17 municípios, incluindo a cidade de Flores, e cerca de 300 mil habitantes que moram em aproximadamente 150 mil residências. 

A energia a ser produzida pela geradora está toda vendida. Cerca de 30% foi comercializada nos leilões de energia realizados para abastecer o mercado cativo e 70% serão comprados pelos clientes do mercado livre. Só lembrando, o mercado cativo é formado pelos consumidores que só podem comprar energia de uma única distribuidora, como é o caso dos pernambucanos que compram da Neoenergia Pernambuco (antiga Celpe). Já o mercado livre é formado por clientes que consomem em alta tensão e podem escolher a empresa da qual vão comprar a energia. 

Segundo parque de geração da Kroma

O parque a ser inaugurado é o segundo empreendimento de geração da Kroma, que começou vendendo energia no mercado livre há 15 anos. O primeiro empreendimento de geração foi também um parque solar em Quixeré, na Serra do Apodi, interior do Ceará. Produzindo desde  novembro de 2018, o empreendimento cearense tem capacidade instalada de 162 MWp. 

O presidente da Kroma Energia, Rodrigo Mello
O presidente da Kroma Energia, Rodrigo Mello/Foto: divulgação

A empresa também tem um terceiro projeto de uma usina solar fotovoltaica, o Complexo Solar Arapuá, na cidade de Jaguarana, no Ceará. Este empreendimento terá a capacidade instalada de 250 megawatt-pico (MWp) e tem a previsão de entrar em operação em outubro de 2025.

A Kroma comercializou 1,8 gigawatts médios em 2023 e tem mais de 500 unidades consumidoras sob a sua gestão.

Leia também

Consumidores, em alta tensão, podem ir para o mercado livre de energia em 2024

Usina de energia solar começará a ser construída em Flores, no sertão de Pernambuco

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Mais Notícias