Dessalinizadores garantem oferta de água no Sertão de Pernambuco

O trabalho de recuperação de dessalinizadores vem sendo feito atualmente por meio de um contrato com uma empresa terceirizada.

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no email
dessalinizadores
Governo recuperou 164 dessalinizadores e implantará mais 50 unidades/Fotos: divulgação SRHS-PE

A Secretaria de Recursos Hídricos e Saneamento de Pernambuco (SRHS-PE) concluiu o trabalho de recuperação do dessalinizador da comunidade Sítio Paula, em Conceição das Crioulas, distrito de Salgueiro, no Sertão Central. O equipamento, que estava quebrado e sem funcionar há cerca de dois anos, abastece uma população de cerca de 130 famílias, em sua maioria de origem indígena e quilombola.

“Nós, o Governo do Estado, consertamos o dessalinizador e o devolvemos à comunidade. Em contrapartida, o município providencia um operador, para atuar na distribuição da água para a população e cobre ainda os custos gerados pela operação com energia elétrica”, explicou o gerente geral de Obras de Saneamento da SRHS-PE, José de Assis.

Novos dessalinizadores

Este trabalho de recuperação de dessalinizadores vem sendo feito atualmente por meio de um contrato com uma empresa terceirizada, firmado pela SRHS-PE, que prevê a manutenção de 255 unidades já existentes e implantação de 50 novas. “Só este ano, nós já recuperamos e colocamos em funcionamento 164 dessalinizadores e outros 16 novos foram instalados e colocados em operação, beneficiando um total de cerca de 60 mil pessoas em todo o estado”, acrescentou Assis.

Dessalinizadores
Operadores são cedidos pelos municípios/Fotos: divulgação SRHS-PE

Segundo moradores do município, durante o período em que o dessalinizador esteve desativado, o abastecimento da cidade foi feito por meio de caminhões pipa, que são fornecidos em parte pela prefeitura, em parte pelo Exército Brasileiro. No entanto, o atendimento era insuficiente, comparado à demanda.

Ainda de acordo com a população, hoje, quem vive no Sítio Paula acessa gratuitamente a água do poço perfurado na comunidade – que tem vazão de cerca de 10 mil litros por hora – (após ser tratada pelo dessalinizador) num limite de 7 baldes de 18 litros por família, a cada dois dias, totalizando 126 litros, dia sim, dia não, por residência.

Para solicitar uma avaliação da SRHS-PE quanto à viabilidade de aplicação desta tecnologia social em alguma comunidade do interior do estado é preciso encaminhar um oficio à secretaria formalizando a solicitação, para o endereço eletrônico [email protected].

Leia também:

Seminário da primeira infância reúne ministros, Raquel Lyra e João Campos

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Mais Notícias