Contêineres: setor cresce em 3 portos do NE

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no email
Contêineres: Demir Lourenço (Tecon Salvador) afirma que investimentos continuam até 2034
Contêineres e mais contêineres: Demir Lourenço destaca continuidade de investimentos no Tecon Salvador até 2034, para ampliar capacidade e produtividade/Foto: Tecon Salvador (Divulgação)

Enquanto o Brasil se aproxima do limite na capacidade de movimentação de contêineres, os terminais do setor no Nordeste comemoram os resultados e se preparam visando as oportunidades num mercado de vento em popa. Nos portos de Salvador, Suape e Pecém, os dados até outubro sinalizam para uma boa performance em 2023, com probabilidade de manutenção sustentada do desempenho nos próximos anos, o que estimula investimentos de grupos como Wilson Sons (Brasil), APM Terminals (Noruega) e ICTSI (Filipinas).

No Tecon Salvador, operado pela Wilson Sons, foram movimentados 316,1 mil TEUs (unidade de contêiner de 20 pés) entre janeiro e outubro passado, avanço de 4,7% sobre os dados de 2022.

Além disso, o terminal acaba de bater novo recorde operacional, com a movimentação de 118,5 contêineres por hora, na descarga e embarque realizados este mês, no navio Bartolomeu Dias 344N. No total, 746 contêineres foram movimentados em 6 horas e 40 minutos.

Contêineres: Tecon Salvador segue em expansão até 2034

A unidade já vem se preparando para o crescimento do seu mercado, com uma expansão concluída em abril deste ano – como explica o diretor executivo Demir Lourenço – e existe um novo ciclo de investimentos programado até 2034. Os programas são focados não apenas em capacidade, mas também em produtividade. O novo recorde reflete essas ações.

Na ampliação mais recente, houve a duplicação dos berços dos cais Santa Dulce dos Pobres e Água de Meninos. Os cais de atração somam agora 800 metros e 16 metros de profundidade. Também foi feita pavimentação de 30.800 metros quadrados de retroárea adicionais.  

Já o maquinário passou a contar com mais quatro guindastes Super Post-Panamax do tipo STS (ship-to-shore), com lança de 66 metros. Esses equipamentos de última geração podem içar cargas a uma altura de 51 metros e erguer até 80 toneladas por vez.

O programa de expansão contemplou ainda a aquisição do software de gestão Navis N4 – líder no mercado global e utilizado nos maiores portos do mundo – 7.200 horas de treinamento de pessoal e a contratação de 100 novos profissionais.

Meta do Tecon Salvador é atingir, em uma década, capacidade de 925 mil contêineres de 20 pés por ano
Capacidade de movimentação de contêineres no Tecon Salvador tem meta de atingir 925 mil TEUs/ano em uma década/Foto: Tecon Salvador (Divulgação)

Meta é atingir 925 mil TEUs/ano em uma década

Com essa ampliação, o Tecon-Salvador ganhou ainda mais musculatura e passou a ser um dos poucos do do gênero, no Brasil, aptos a operar os maiores navios do mundo: os porta-contêineres New Panamax, com cerca de 366 metros de extensão.

“Ao todo, nossa capacidade de receber carga em pátio saiu de 430 mil TEUs para 553 mil TEUs por ano. Até 2034, quando teremos concluído nossa terceira expansão, vamos atingir 925 mil TEUs/ano”, detalha Demir Lourenço.

Contêineres são a segunda carga mais importante no mix de Suape, que terá novo terminal
APM Terminals vai investir R$ 1,6 bilhão na construção de um terminal de contêineres em área comprada ao Atlântico Sul Heavy Industry Solutions/Foto: EAS (Divulgação)

Suape incrementa movimentação e ganha novo terminal

No Porto de Suape, o terminal operado pelo grupo filipino ICTSI vem contribuindo com 23% de todo o mix de carga movimentado no ancoradouro.

No primeiro semestre deste ano, a movimentação total no complexo cresceu 5% em relação ao mesmo período de 2022 e a carga conteinerizada só ficou atrás dos granéis líquidos em volume de operações. Diante dessa performance e da expectativa de crescimento da demanda, o Tecon Suape está investindo R$ 40 milhões em infraestrutura e equipamentos.

A fim de garantir competitividade nesse cenário de negócios à vista, o Governo de Pernambuco aposta na implantação do segundo terminal de contêineres de Suape, que vai concorrer com o da ICTSI. O empreendimento será construído e operado pela APM Terminals, braço da gigante norueguesa da navegação Maersk.

A autorização para a implantação do Tecon 2 de Suape foi assinada em outubro passado pela governadora Raquel Lyra. A APM Terminals vai investir R$ 1,6 bilhão na primeira etapa do empreendimento, que começa a ser construído em 2024 e tem previsão de iniciar as operações em 2026.

O novo terminal vai ocupar 50 hectares, terá capacidade inicial para a movimentação de 400 mil TEUs/ano e deve incrementar a movimentação de contêineres em 50% em Suape. A expectativa é de que atinja 1,3 milhão de TEUs anuais quando estiver em pleno funcionamento.

Fruticultura impulsiona APM Terminals Pecém

No Ceará, a APM está presente desde 2002 operando um terminal no Porto do Pecém. Em outubro, o empreendimento quebrou seu recorde de movimentações e registrou 55 mil TEUs movimentados, 11% a mais que nos mesmos dez meses do ano passado. Um dos principais responsáveis por esse crescimento são as frutas frescas das áreas de irrigação do Nordeste. Essse tipo de carga registrou um salto de 23% nesse período, segundo o diretor-presidente do terminal, Daniel Rose.

O Complexo de Pecém vem se destacando como um dos principais equipamentos logísticos na cadeia de negócios da fruticultura nordestina, que tem como maiores produtores Pernambuco, Bahia, Ceará e Rio Grande do Norte.

A previsão da autoridade portuária é de que as exportações do setor pelo porto cheguem, ao todo, a 180 mil toneladas na temporada 2022/2023, 10 mil a mais que o resultado na safra 2021/2022. Em contêineres refrigerados, esse número é estimado em 7.200 TEUs.

“Estamos otimistas quanto ao futuro e comprometidos em investir e crescer junto com o Porto do Pecém. Continuaremos a aprimorar operações e expandir nossa infraestrutura, como parceiros do Ceará e da fruticultura regional”, conclui Daniel Rose. 

Leia mais sobre carga conteinerizada

APM Terminals tem autorização para implantar seu terminal de contêineres em Suape

Aliança constrói as primeiras barcaças oceânicas para contêineres do Brasil

Desenvolvimento econômico: Suape atrai R$ 74 bi

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Mais Notícias