Enel investe 3,9 bi em 2 eólicas na BA

Saiba tudo sobre as novas usinas de energias renováveis do Grupo Enel na Bahia. A Serena, antiga Ômega, também estuda mais investimentos no estado
Enel: empresa expande negócios em renováveis no Nordeste com um fôlego impressionante
Antonio Scala, presidente do grupo no Brasil, deixa clara a disposição para ampliar os investimentos em renováveis no país, em ritmo acelerado/Foto: Grupo Enel Brasil (Divulgação)

Com um fôlego impressionante, a Enel Green Power Brasil, acaba de colocar em operação seu mais novo parque eólico no mercado nacional, localizado na Bahia, e já anuncia outro empreendimento do setor no estado. Juntos, esses dois projetos representam investimentos de R$ 3,9 bilhões.

“A Enel é um investidor de longo prazo e tem reiterado o compromisso de seguir investindo em geração renovável e distribuição, criando empregos e estimulando o desenvolvimento”, afirma o presidente do Grupo Enel no mercado brasileiro, Antonio Scala, sobre o ritmo de execução do plano estratégico da EGP, braço do conglomerado para energia limpa.

A unidade mais recente desse programa a iniciar a produção em escala comercial é o Complexo Eólico Aroeira (348 MW), que se estende por três municípios: Umburanas, Morro do Chapéu e Ourolândia. Essas localidades fazem parte da microrregião de Senhor do Bonfim, ao norte da Bahia.

O complexo, que recebeu aportes de R$ 2,1 bilhões, tem capacidade total de 1.800 gigawatts/hora (GWh) por ano. Esse volume de energia é o suficiente para atender a cerca de 849 mil residências ao longo de 12 meses.

Além de reforçar a segurança energética, Aroreira também vai dar uma contribuição importante para a descarbonização, ao evitar emissões estimadas em 757 mil toneladas de dióxido de carbono (CO2)/ano na atmosfera, graças à substituição de fontes poluentes de eletricidade.

- Publicidade -

Composta por 81 aerogeradores, a usina da Enel é conectada à Subestação Ourolândia II por meio uma linha de transmissão (LT) de 18,5 quilômetros. Essa infraestrutura também integra o empreendimento.

Enel: Complexo Aroeira fica localizado no Norte da Bahia
Complexo de Aroeira, ao Norte da Bahia, é o recente no portóflio da Enel a entrar em operação no país/Foto: EGP Brasil (Divulgação)

Enel sem parar: termina Aroeira começa Pedra Pintada

O novo investimento da Enel no estado é o parque eólico Pedra Pintada, localizado na mesma região de Aroeira, em áreas que fazem parte de Umburanas e Ourolândia. O projeto, em fase avançada de construção, está orçado em R$ 1,8 bilhão.

A capacidade total prevista é de 193,5 megawatts (MW), graças aos 43 aerogeradores da usina. Quando estiver 100% operacional, a unidade poderá produzir 894 GWh por ano, o suficiente para abastecer 435 mil residências e evitar a emissão de 374 mil toneladas de CO2 anualmente.

Crescimento anima presidente da Enel

Animado com o crescimento das operações de energia limpa da GEP no Nordeste, Antonio Scala afirma que “com Aroeira e Pedra Pintada, temos duas importantes contribuições para a diversificação das fontes renováveis no Brasil”.

Ele destaca também os impactos sócioeconomicos desses negócios na Bahia, com a criação de seis mil empregos na fase de implantação. Dessas vagas, duas mil foram ocupadas por moradores da região.

De olho nesses números, quem também comemora a expansão da Enel é o governador Jerônimo Rodrigues. “Estamos trabalhando, dialogando com empresas e associações, para que o nosso estado possa participar cada vez mais da geração de postos de trabalho e renda qualificada e fomentar a cadeia produtiva renovável local”, ressalta.

No Brasil, o Grupo Enel possui uma capacidade total instalada renovável de mais de 5,9 GW, dos quais mais de 3,3 GW são de fonte eólica, mais de 1,4 GW são de fonte solar e cerca de 1,3 GW de hidro.

O número de plantas chega a 120, das quais 94 em funcionamento e 16 em construção. Boa parte dos empreendimentos fica em estados nordestinos como a Bahia, Pernambuco e Piauí.

Quem é a Enel Green Power?

A Enel Green Power, braço de renováveis do grupo italiano Enel no mercado global, desenvolve e opera usinas de energia limpa. Número 1 do ranking mundial do setor, a empresa está presente na Europa, Américas, Ásia, África e Oceania. A capacidade total dos seus parques atinge atualmente 63 GW em um mix de geração que inclui eólica, solar, geotérmica e hidrelétrica.

Serena também aumenta presença na Bahia

Além da Enel, outra companhia que tem planos para aumentando a presença na área de energia limpa da Bahia é a Serena, novo nome da Ômega Energia, e que traz como diferencial ser uma empresa brasileira.

A diretoria da Serena se reuniu semana passada com o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Angelo Almeida, para tratar de novos investimentos que, por enquanto, são mantidos sob reserva.

A empresa tem atualmente, no estado, usinas eólicas que totalizam 1 GW em operação, incluindo o Complexo Eólico Assuruá (Xique-Xique). Esse é o maior projeto do portfólio da Serena no Brasil, com 808 Megawatts (MW) de capacidade instalada.

Além disso, a companhia acaba de adquirir 100% do controle acionário do Complexo Ventos da Bahia (Bonito e Mulungu do Morro). Fora do Brasil, a Serena ativou em 2023 sua primeira operação internacional, um parque localizado no Texas (EUA).

Leia mais

Enel e Equinox se unem para gerar energia limpa

Enel inicia operação da segunda expansão do complexo solar São Gonçalo, no Piauí

- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Notícias

- Publicidade -