ACLF entra no mercado de imóveis do Recife com m² 25% mais barato

Empresa está lançando o Belém Boulevard, com proposta de novo conceito de verticalização, que une moradia e minishopping, além de aproveitar benefícios do novo plano diretor da capital para imóveis que estimulem o desenvolvimento das centralidades urbanas.
Imóveis: Avelar Loureiro Filho já mira outros bairros no Recife, como Boa Vista e Várzea, além de cidades como Caruaru
Imóveis: Avelar Loureiro Filho afirma que “Campo Grande é apenas o começo” e já mira outras centralidades no Recife e cidades no interior, como Caruaru/Foto: ACLF (Divulgação)

Depois de 24 anos de uma trajetória em que se tornou um dos players mais importantes do mercado de imóveis da Zona Norte da Região Metropolitana, a ACLF Empreendimentos chega ao Recife com agressividade no preço do metro quadrado e inovação no conceito de verticalização. O primeiro lançamento na capital é o Belém Boulevard, que começou a ser construído recentemente, no bairro de Campo Grande.

Um dos principais diferenciais na estratégia da empresa, ao estrear no Recife, é o metro quadrado em torno de 25% mais barato em relação a empreendimentos similares.

Segundo o presidente Avelar Loureiro Filho, esse preço altamente competitivo é resultado de muito investimento em inovação (de processos e materiais, para diminuir o tempo de construção e reduzir custos) e do ganho de escala possibilitado por projetos com um número de unidades que permita a maior competitividade possível.

Imóveis com visão de linha de montagem industrial

O Belém Boulevard, que é voltado para a faixa de renda entre R$ 5 mil e R$ 10 mil mensais, segue essa lógica do ganho de escala. Terá nada menos que 556 apartamentos (com 73 metros quadrados e padrão três quartos, sendo um suíte), distribuídos em duas torres com 36 pavimentos e seis elevadores por torre.

O prazo de entrega é de 36 meses, mas poderá ser encurtado devido às técnicas construtivas empregadas. Isso inclui produção serial e o uso de concreto e drywall (sistema de construção a seco com perfis metálicos e gesso acartonado), no lugar de tijolos tradicionais. A ACLF aprimorou o uso do concreto em suas construções e o Belém Boulevard é o 1º prédio no país construído seguindo a nova norma brasileira de parede de concreto. O uso desse material dá celeridade à obra, reduzindo os custos com a construção.

- Publicidade -

Estamos utilizando o que há de mais moderno em tecnologias, processos e materiais, numa visão de linha de montagem industrial, como se faz nas grandes metrópoles do mundo e em países que são referência internacional na construção civil. Não tem mágica, nem dumping”, afirma Avelar Loureiro Filho.

Segundo o empresário, a conquista recente da certificação NDT 1 (Nível de Desempenho Técnico) é resultado desse esforço voltado para a produtividade, rapidez e qualidade. O reconhecimento de conformidade foi entregue pela Caixa Econômica Federal à ACLF em julho passado, atestando grau de excelência máxima nos projetos da empresa.

No Nordeste, apenas duas construtoras possuem a NDT 1 e a ACLF é a única em Pernambuco a contar com essa chancela.

Imóveis: Belém Boulevar mostra estratégia da ACLF focada em construção como linha de montagem industrial
Belém Boulevar, no bairro de Campo Grande, marca a chegada da ACLF ao Recife/Perspectiva: ACLF (Divulgação)

Imóveis: ACLF adota novo conceito de verticalização integrada a varejo

A estratégia da ACLF para entrar no mercado da capital incluiu uma densa pesquisa sobre o Novo Plano Diretor da Cidade. O construtora pesquisou áreas mais atrativas para a expansão urbana e construiu seu empreendimento dento do conceito de adensamento proposto pelo plano. Assim, o Jardim Boulevard une verticalização, sustentabilidade e uma infraestrutura completa de serviços, que vai além do que é oferecido hoje em Pernambuco e isso inclui área comercial e serviços, para que os moradores tenham tudo por perto.

Assim, o grande atrativo são os minishoppings integrados aos edifícios e abertos à comunidade.  Os minicentros de compras terão a bandeira Point Mall, novo braço de negócio da construtora, e a gestão será mantida com a ACLF, a fim de que seja preservado o mix definido para cada shopping, o padrão de qualidade exigido e o modelo de negócio. “Vamos trabalhar com a locação, não com a venda desses espaços comerciais”, explica o presidente.

No caso do Belém Boulevard, que terá o primeiro Point Mall, estão previstas seis lojas no andar térreo do edifício-garagem, que contará com roof top, onde vão funcionar duas quadras de esportes. O terraço, no entanto, terá acesso reservado e será de uso privativo dos moradores.

Plano Diretor do Recife

A estratégia da ACLF para o mercado de imóveis do Recife, evidenciado pelo Belém Boulevard, é a visão do Plano Diretor do Recife, sancionado em dezembro de 2020, como oportunidade de negócio para a construção civil.

“A nova legislação municipal para orientar o crescimento e desenvolvimento da cidade tem como uma de suas premissas básicas o adensamento voltado para o fortalecimento das centralidades urbanas e estamos alinhados com essas diretrizes”, explica Avelar Loureiro Filho.

O empresário destaca os incentivos previstos no plano diretor para que a cadeia da construção e mercado imobiliário invista em projetos localizados em espaços multifuncionais e autossuficientes, como o bairro de Campo Grande, onde está localizado o Belém Boulevard.

O empreendimento está situado numa das mais tradicionais centralidades do Recife – a região da Encruzilhada e Campo Grande – próximo do mercado público que faz parte da memória afetiva dos recifenses, do Shopping Center Tacaruna e de corredores de transporte público, como a avenida Agamenon Magalhães. Além disso, na vizinhança, há instituições de ensino, academias de ginástica, farmácias e parques.

Adensamento traz ganhos para a cidade

O objetivo dessas diretrizes do Plano Diretor, com as quais a ACLF está integrada, é estimular o cidadão a morar em áreas adensadas e onde existe infraestrutura e serviços, incluindo estrutura de transportes, como corredores de ônibus ou estação de metrô, por exemplo.

Essa visão da gestão urbana traz, entre outros, dois ganhos importantes para a população. O primeiro: busca organizar, do ponto de vista espacial, a oferta de equipamentos públicos e privados, emprego e moradia, visando qualidade de vida. O segundo: reduz deslocamentos, contribuindo para a melhoria da mobilidade, um dos maiores desafios do Recife.

A ACLF, atenta às possibilidades geradas pela legislação, já está mirando outras centralidades onde investir como a rua da Ninfas, na Boa Vista, e a Várzea. A empresa se articula com os líderes de um megaprojeto, na Várzea, para ser a construtora responsável pela implantação de um bairro planejado.

“Esse empreendimento, em fase de projeto e também focado em verticalização, deve contemplar diversas faixas de renda, desde a classe média ao consumidor de alto padrão, afirma Avelar Loureiro Filho, sem adiantar mais detalhes dos planos da ACLF, que incluem outras cidades, como Caruaru. “Campo Grande é apenas o começo”, conclui.

Leia mais sobre imóveis:

Mercado imobiliário: Recife reduz estoque, mas segue em retração até início de 2024

Mercado imobiliário de Pernambuco está otimista com grandes investimentos

Mercado imobiliário prevê ano de recuperação em 2023

Fim da taxa de marinha deve fomentar o mercado imobiliário brasileiro

- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Notícias

- Publicidade -